Serviço entra no ar até setembro. Foto: flickr.com/emilybean

O Youtube anunciou recentemente sua entrada no mercado de streaming de músicas. A implementação estará disponível até setembro desse ano. 

A confirmação foi dada ao Financial Times pelo diretor de conteúdo e negócios operacionais, Robert Kyncl. Além disso, foi confirmado que pequenas gravadoras que se recusarem a aceitar seus termos terão o conteúdo bloqueado no site.

O serviço permitirá que os internautas paguem uma mensalidade para ouvir músicas sem propagandas. Com isso a empresa entra no terreno de Deeze,Rdio e Spotify, que entrou no mercado brasileiro em maio.

Segundo Kyncl, "em questão de dias" o YouTube começará a bloquear vídeos de músicas que não se enquadrarem no formato a ser lançado, para garantir que só quem aceitou os termos da empresa, permaneçam.

Segundo o diretor, há acordos com gravadoras que representam 95% do mercado, mas deixa de fora as independentes, que não são irrelevantes. A XL Recordings, por exemplo, está por trás de nomes como Adele e The xx, e a banda Arctic Monkeys está atrelada à Domino, ambas representadas pela agência de direitos autorais Merlin, que se recusa a aceitar o que foi proposto pelo YouTube.

Nessa polêmica, recentemente a WIN (Worldwide Independent Network), representante de diversas empresas pequenas pelo mundo, divulgou uma nota de repúdio contra o Google.

Nela, a organização afirma que o YouTube fechou acordos separadamente apenas com as três maiores gravadoras: Sony, Warner e Universal. A informação foi confirmado pelo site de vídeos, mas reiteraram que eles tem procurado as menores separadamente.

A carta da WIN contém assinaturas de gravadoras em 18 países, incluindo Brasil, Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha.

Na Europa, serviços como do Spotify já é considerado a segunda maior fonte de renda do mercado da música digital, segundo levantamento da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI).

Os valores a serem cobrados pelo Youtube não foram revelados. Nesse ramo, o Spotify já atua com planos de R$ 13 por mês (R$ US$ 5,99). O Rdio por R$ 14,90 e o Deezer a R$ 7,49 mensais.