Tribunal cearense é pioneiro no país. Foto: TCE/Divulgação.

O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará adquiriu o vSan, uma solução de hiper convergência da VMware rodando em tecnologia all flash, para reestruturar seu ambiente de tecnologia, realizando o que a multinacional afirma ser o primeiro projeto do gênero dentro do judiciário brasileiro e o primeiro passo para a adoção de um data center definido por software.

A migração aconteceu em meio a um processo para implementar processos judiciais digitais e atender a todas as 174 cidades do estado do Ceará, para as quais o TJ-CE é a segunda instância judicial.

A novidade acarretou a virtualização de mais de 1,1 milhão de processos judiciais pendentes, com correspondente crescimento na demanda por capacidade de armazenamento e processamento dados. 

“Precisávamos de uma solução para atender a esses novos desafios. Queríamos uma tecnologia que tivesse a mesma performance das plataformas que já conhecíamos, fosse de fácil implementação e possibilitasse a migração de dados", afirma Cristiano Carvalho, gerente de infraestrutura de TI do TJCE.

O TJ-CE já usa tecnologias da VMware há 10 anos, tendo antes um ambiente baseado em vSphere e vCenter. 

"Hoje, se um sistema cai, o outro assume imediatamente e a migração de dados é automática. Além disso, conseguimos reduzir o tempo de recuperação de informações de 48 horas para quatro segundos", conta Carvalho.

Armazenamento de dados é um assunto sério no judiciário, na medida em que avança a digitalização dos processos.

No final do ano passado, a Tribunal Superior do Trabalho no Paraná teve uma queda de vários dias por uma falha no software de gerenciamento do sistema de armazenagem de dados Dorado 6000 v3 da Huawei.

A linha Dorado é composta justamente por equipamentos baseados em tecnologia all-flash, o último grito quando o assunto são sistemas de storage.