IBM cruza a ponte de Natal atrás de negócios fora do eixo Rio-São Paulo. Foto: flickr.com/photos/faiper

A IBM dá sequência à sua expansão regional no Brasil com a ampliação da estrutura em Natal (RN) e São Luís (MA).

Pela estratégia, a empresa busca crescer entre clientes corporativos e na área de governo fora do eixo Rio-São Paulo.

Com o investimento, cujos valores não foram revelados, essas cidades passam a contar com uma estrutura de atendimento composta por funcionários IBM dedicados e/ou parceiros de negócios.

A ação da Big Blue não se trata de uma aposta a esmo na região.

MAIOR CRESCIMENTO DO MUNDO
Natal, por exemplo, será uma das cidades-sede dos jogos mundiais. Além disso, a cidade sozinha representa cerca de 40% de todo o PIB do estado.

Já o Maranhão deve ter o seu PIB elevado de 30% para 40% nos próximos cinco anos.

E São Luís figura entre as 600 cidades que terão o maior crescimento no mundo até 2025, segundo um estudo divulgado pela consultoria McKinsey Global Institute.

Atualmente, 15% dos grandes projetos previstos para o estado nos próximos anos estão concentrados na capital.

De acordo com o governo local, são 27 empreendimentos com investimentos que chegam a somar R$ 17 bilhões.

“São Luís e Natal possuem um forte potencial de crescimento e nós queremos ajudar os governos e as empresas a usar a tecnologia para resolver problemas que impactam diretamente no dia a dia do cidadão”, resume Célia Zappa, líder de Expansão Regional da IBM Brasil.

AUMENTO EXPRESSIVO
Segundo a IBM, que já estava presente no nordeste com parceiros de negócios, a empresa registrou um “aumento expressivo” nos negócios em diversas cidades da região.

Em 2009, a empresa deu início à estratégia de expansão regional, e hoje, três anos depois, apresenta um crescimento de 30% no número de cidades-foco – eram 11 cidades em 2009, atualmente são 38.

Implementada por meio de novos escritórios ou parceiros de negócios, a iniciativa permite que a companhia desenvolva uma estrutura de atendimento capacitada e integrada à economia local.

MERCADOS DE CRESCIMENTO
Globalmente, a estratégia tem foco em economias de rápido crescimento, como Brasil, Rússia, Índia e China, além de partes da Ásia, África e Oriente Médio, América Latina, Europa Central e Leste.

Esses países fazem parte da unidade de Growth Markets da IBM, que em 2011 representou 22% da renda da companhia, contribuindo para o crescimento de seus negócios no mundo todo.

A expectativa é que seu rendimento corresponda a 30% da receita da IBM até 2015. No ano passado, o faturamento da Big Blue foi de US$ 106,91 bilhões.