Sidnei Czarny, gerente geral da StarLeaf para a América Latina. Foto: Divulgação.

Depois de iniciar sua operação na América Latina no final de 2014, a StarLeaf passou a estruturar seu programa de canais. Focada em videoconferência em nuvem, a empresa conta hoje com 12 revendas na América Latina, sendo quatro delas no Brasil.

As parceiras da StarLeaf são, em sua maioria, empresas de integração de áudio e vídeo. No Brasil, os canais são AMSI, INAC Sistemas, Seal Telecom e Videoconferência BH.

O plano da empresa ainda é aumentar esse número, para contar com canais das regiões sul e nordeste, chegando a 10 canais até o final de 2016.

A companhia também conta com revendas nos seguintes países: Bolívia, Chile, Colômbia, México e Peru. 

Entre os clientes, atualmente são cinco na região e, segundo o gerente geral da StarLeaf para a América Latina, Sidnei Czarny, muitas propostas estão em andamento. 

Um dos clientes é o consórcio Energia Sustentável do Brasil, responsável pela construção da usina hidrelétrica do Jirau (UHE Jirau). A implantação do sistema de comunicação é focado nos stakeholders e funcionários envolvidos no projeto.

“Temos uma demanda diária muito grande de videoconferências, não só com nossos acionistas, inclusive no exterior, mas com nossos colaboradores em diversos estados do país. Os equipamentos que possuíamos não estavam atendendo essa demanda, então optamos pela solução em nuvem”, explica Fábio Bindá, coordenador de TI do Energia Sustentável do Brasil.

Antes de liderar a chegada da StarLeaf na região, Czarny passou seis meses na Avaya, onde foi líder de vendas para vídeo e comunicação unificada. Antes, por cinco anos, foi especialista de vendas da Radvision, adquirida pela Avaya.

Segundo ele, a solução da StarLeaf tem potencial no mercado brasileiro por ser adequada para uma grande gama de empresas.

“O mercado de videoconferência fica muito concentrado em grandes empresas, enquanto podemos atender também pequenas e médias. A StarLeaf oferece uma solução de vídeo profissional sem instalar nada na rede do cliente, somente com uma licença na nuvem, então o investimento é menor e a implantação é rápida”, relata.

Além disso, ele afirma que o mercado de vídeo em nuvem cresceu 35% no ano passado. De modo geral, as vendas mundiais de sistemas de videoconferência e telepresença em unidades cresceram 20,5% no primeiro trimestre de 2015, segundo dados da IDC.

A plataforma de comunicação da StarLeaf com segurança garantida por meio de criptografia. Por ser baseado em nuvem, a solução permite a integração dos sistemas StarLeaf com outros tipos de tecnologia de videoconferência profissional pré-existentes.

Hoje a equipe da StarLeaf na América Latina conta com três pessoas no Brasil. A empresa prevê para 2015 a contratação de mais dois profissionais, que ficarão alocados na Colômbia e no México.