Aplicativo tem cerca de 80 milhões de usuários americanos. Foto: https://www.flickr.com/photos/solen-feyissa/

O departamento de comércio dos Estados Unidos anunciou que, a partir do próximo domingo, 20, os aplicativos chineses TikTok e WeChat serão banidos de todas as lojas de aplicativos utilizadas no país, como App Store, do iOS, e Play Store, do Google.

Segundo o site Bloomberg, os termos do acordo entre a ByteDance, dona do TikTok, e a americana Oracle não teriam atendido às preocupações de segurança nacional manifestadas por autoridades do governo americano.

Na última segunda-feira, 14, a Oracle havia anunciado que seria “parceira de tecnologia” da empresa chinesa — depois de Trup exigir que uma companhia americana operasse o aplicativo no país.

A Oracle e a Microsoft chegaram a fazer propostas para a compra da operação do app, mas ambas foram recusadas pois, ao que parece, a ByteDance estava tentando uma solução intermediária, que não envolvesse a venda.

Para quem não sabe, o Tik Tok é a rede social em alta no momento, com 2,3 bilhões de downloads e um valor de mercado estimado entre US$ 30 bilhões e US$ 50 bilhões.

Nos Estados unidos, estima-se que o aplicativo tenha cerca de 80 milhões de usuários, totalizando mais de 1 bilhão no mundo.

Segundo a revista Exame, até mesmo a conta mais popular no app chinês é de uma americana, a adolescente Charli D’Amelio, de 16 anos, que possui 85 milhões de seguidores.

Já o WeChat tem 1,2 bilhão de usuários no mundo todo, segundo a consultoria de dados alemã Statista.

As empresas não foram as primeiras chinesas a serem proibidas pelo governo americano. No ano passado a Huawei, maior fornecedora telecom do mundo, foi colocada na lista negra dos Estados Unidos, sendo proibida de fazer negócios com qualquer empresa do país. 

Na ocasião, a companhia dependia fortemente de seu acordo com o Google para o fornecimento do sistema operacional Android e, recentemente, anunciou que seus dispositivos terão um sistema operacional próprio.