Decisão da Symantec pode influenciar clientes a migrar para a nuvem. Foto: Pixabay.

A Symantec decidiu migrar 105 aplicações do Norton para a nuvem Azure da Microsoft, em um movimento que levará ao fechamento de seis dos 25 data centers da gigante de segurança em todo mundo.

As aplicações migradas incluem score de reputação, telemetria de segurança e segurança avançada contra ameaças. O e-commerce também irá para a nuvem, em uma migração a ser completada até março de 2018.

Aplicações core na área de finança e outros apps permanecerão nos centros da Symantec.

Na avaliação do site britânico The Register, é uma grande vitória para a Microsoft, uma vez que a decisão da Symantec sinaliza para os seus clientes finais a segurança de mover aplicações para a nuvem pública.

A decisão de migrar para a nuvem não é a única mudança radical em curso na Symantec, que tenta se reposicionar em um mercado de segurança em mutação.

Em 2015, a Symantec vendeu a Veritas, sua unidade de tecnologias de storage, para o fundo Carlyle Group por um total de US$ 8 bilhões (um pouco mais da metade dos US$ 13 bilhões que pagou em 2005).

A integração entre as duas empresas nunca decolou e com ele o discurso de ser um player diversificado, com soluções de segurança e backup. 

No ano passado, a Symantec botou todas suas fichas no negócio de segurança, com a aquisição da Blue Coat por US$ 4,65 bilhões.

A Symantec é forte em segurança on premise, enquanto o forte da Blue Coat é cloud computing. 

A Blue Coat também forneceu o novo comando para a Symantec, na figura do seu CEO, Greg Clark.