Jéferson de Castilhos e Jaison Niehues, fundadores da 1Doc. Foto: Divulgação.

A prefeitura do município de Capão da Canoa buscou a plataforma 1Doc para informatizar sua gestão. A plataforma em nuvem é focada em comunicação, atendimento e gestão documental.

Com o sistema, a prefeitura espera aumentar a eficiência nos trâmites internos entre as secretarias do Poder Executivo Municipal.

Em vigor desde dezembro, a tecnologia permite oferecer resposta aos pedidos e requerimentos de cidadãos, nos prazos estabelecidos em lei, via internet.

Com o uso da plataforma, a gestão do município irá fazer também a realização de processos seletivos para cargos na prefeitura de modo online. Desta forma, tanto o processo de abertura de vagas como a realização de inscrições será digital. 

De acordo com estimativas preliminares da 1Doc, a prefeitura da cidade, que possui cerca cerca de 50 mil habitantes, poderia gerar uma economia mensal de cerca de R$ 28 mil com a informatização. O cálculo está relacionado aos gastos diretos e indiretos com o uso do papel.

Apesar do número de habitantes, Capão da Canoa, no litoral gaúcho, é um tradicional destino de férias e chega a reunir 110 mil pessoas durante o período de verão. 

De acordo com dados da Fundação de Economia e Estatística  (FEE) de dezembro de 2017, Capão da Canoa é o município com maior população média no litoral norte do Rio Grande do Sul durante o veraneio.

Fundada em 2014, a 1Doc começou a atuar com o objetivo de desenvolver uma solução que oferecesse transparência para a população nas demandas municipais. 

Jéferson de Castilhos e Jaison Niehues decidiram criar a plataforma após assumirem cargos comissionados na área de tecnologia da prefeitura de São José, na grande Florianópolis. O primeiro teste da plataforma foi na prefeitura em que ambos trabalhavam. 

A solução passou a ser apresentada a outros órgãos públicos, que adotaram o sistema por meio de compra direta ou por licitação.

O investimento inicial dos empreendedores na criação da solução foi de aproximadamente R$ 150 mil. Após o lançamento, a startup atraiu a atenção da empresa de tecnologia catarinense Softplan, que realizou um aporte de valor não foi divulgado.

A empresa possui sede em Florianópolis, com um escritório localizado no prédio da Softplan, e possui 16 colaboradores.

O sistema atende a cidades como Presidente Prudente, Taboão da Serra, Rosana e Fartura (SP), Palotina (PR) e Garuva (SC).