Ana Minconi.

Ana Minconi, ex-gerente de desenvolvimento de negócios para Microsoft da Softline, acaba de assumir o cargo de gerente de Alianças e Canais para Brasil do SAS, multinacional americana de soluções de de análise de dados.

A executiva tem passagens pela área de canais em empresas como Intel Security, Desire2Learn e Microsoft.

Minconi atuou mais de uma década na Microsoft. Ela também foi executiva de contas na Dell e Telefônica. 

"Vamos focar no treinamento e na capacitação junto aos parceiros para que estejam totalmente preparados para oferecer as melhores soluções aos nossos clientes, aumentando a produtividade dos negócios por meio do nosso programa de canais", afirma Minconi.

O SAS conseguiu um incremento importante na participação dos canais nas vendas no Brasil nos últimos anos: os parceiros passaram de 29% da receita da companhia em 2017 para 44% no começo de 2019.

Os segmentos de telecom, bancos e seguradoras foram os mais importantes nos resultados dos parceiros.

Na América Latina, o SAS conta com cerca de 120 parceiros, sendo 51 deles no Brasil.

A área de canais passou recentemente por mudanças de pessoal.

Daniela Fontolan, que liderava o programa brasileiro no cargo de gerente, sendo promovida a diretora para América Latina em 2017, deixou a empresa para liderar os canais na FICO.

Ambas empresas atuam no mesmo ramo, com software de análise de dados e forte presença no setor financeiro. 

A posição de canais está sendo criada agora na FICO. Na SAS, os canais em nível latino americano foram assumidos por Javier Ramirez, com o escritório baseado em Miami, e não mais em São Paulo.

O SAS foi fundado em 1976 e está no Brasil desde 1996, com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Em nível global, a empresa obteve faturamento de US$ 3,27 bilhões em 2018, estável em relação aos US$ 3,24 bilhões de 2017. A América Latina foi responsável por 4% do crescimento global no último ano.