Tudo é muito divertido, até que você é demitido.

Eric Gilmore, fundador e CEO da startup de tecnologia para logística americana Turvo, foi demitido por gastar um total de US$ 76 mil no cartão corporativo em clubes de striptease ao longo de três anos.

O executivo de 39 anos fundou a companhia em 2014, depois de ter passagens por Microsoft e Cupons.com. As visitas aos clubes de striptease foram feitas com potenciais clientes.

Gilmore foi demitido do cargo de CEO em maio e o assunto veio à tona por uma matéria da Bloomberg, que teve acesso a documentos ligados a uma disputa judicial entre o ex-CEO e a empresa.

O executivo não nega o uso do cartão corporativo nos clubes, descobertos durante uma revisão de gastos conduzida por um novo CFO. A queixa é que a demissão violou as regras internas da empresa. As partes chegaram a um acordo em setembro. 

Gilmore segue no board e é o maior acionista da startup, que já levantou US$ 85 milhões de fundos e tem 200 funcionários. Os investidores pediram a demissão do CEO, o que certamente gerará um clima ameno em reuniões futuras.

Na avaliação da Bloomberg, a demissão de Gilmore mostra que os conselhos de administração estão tomando medidas para resolver internamente alegações de má conduta de executivos, antes que eles se tornem escândalos públicos.