César Bortolini assumiu em janeiro de 2015 a condução da diretoria da Deatec. Foto: Divulgação.

O analista de sistemas e empresário César Bortolini assumiu em janeiro de 2015 a condução da diretoria da Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec). Bortolini é proprietário da empresa MultiSoftware Developer Center e professor na área de tecnologia na Unochapeco. 

Ele também participa como voluntario do PMI - SC (Project Management Institute). Bortolini é formado em Ciência da Computação pela Unochapeco e possui pós-graduação em Gestão em Tecnologia da Informação e mestrado em andamento pela Unisinos. 

Também compõe a nova diretoria os empresários Ernani Zottis (vice-presidente); Sinara Perosa (vice-presidente de Infraestrutura); André João Telöcken (vice-presidente de novos negócios) Ivan Joel Nichelle (secretário); Marcio Fortes (secretário adjunto); Gustavo Damschi (tesoureiro) e Francis Post (tesoureiro adjunto).

Durante a assembleia, o ex-presidente Ernani Zottis destacou que permanecerá na diretoria para acompanhar e dedicar-se exclusivamente à consolidação do Parque e Distrito Tecnológico, uma das bandeiras da Deatec. 

Zottis ressaltou que 2014 foi um ano de muito trabalho, citando a busca pela certificação das empresas, os encaminhamentos para o Parque e Distrito Tecnológico e o fortalecimento do escritório de negócios que já começa a apresentar resultados.

“Já temos projetos aprovados junto ao BRDE com linhas de crédito específicas para o setor”, comentou.

Já em 2015, foi iniciada mais uma turma de capacitação do Programa Geração Tec em Chapecó, organizada pela Deatec e Unochapecó. A iniciativa visa capacitar acadêmicos dos cursos de tecnologia conforme necessidade indicada pelas empresas vinculadas à Deatec, com foco na formação de recursos humanos diferenciados para realização de projetos inovadores ou novos pacotes dentro da empresa interessada.

A Deatec é uma associação de empresários da área de tecnologia fundada em 2005. Atualmente, a entidade cobre uma região com mais de 100 municípios, entre Joaçaba e São Miguel do Oeste e representa mais de 50 empresas que mantêm 1.300 empregados e geram R$ 60 milhões em faturamento.