Baguete
InícioNotícias> Dassault Systemes quer ser a Amazon

Tamanho da fonte:-A+A

FUTURO

Dassault Systemes quer ser a Amazon

Maurício Renner
// segunda, 19/02/2018 14:20

A Dassault Systemes quer se tornar a Amazon do mundo da engenharia, construindo uma plataforma pelo meio da qual empresas do segmento podem contratar desde serviços especializados como impressão 3D até peças inteiras vindas de fornecedores terceiros em qualquer parte do mundo.

Gian Paolo Bassi.


O chamado 3DExperience Marketplace estará disponível para usuários dos softwares de design 3D Catia e SolidWorks, mas é especialmente atrativo para organizações de médio e pequeno porte, e talvez por isso foi lançado durante o SolidWorks World, evento mundial da linha de produtos do segmento realizado recentemente em Los Angeles, na Califórnia.

"Queremos ser a Amazon para a engenharia", disse durante o seu keynote o CEO da SolidWorks, Gian Paolo Bassi, numa comparação ousada com a gigante de varejo digital que seria repetida com frequência nos durante o evento.

O 3DExperience Marketplace terá dois usos. Pelo Marketplace Make será possível encomendar peças e contratar serviços especializados como impressão 3D, CNC, injeção de moldes e chapas metálicas. Até agora, a Dassault Systemes já selecionou 50 empresas para essa operação, totalizando 500 máquinas em todo o mundo.

Já no PartSupply é possível fazer o download de 30 milhões de componentes de 600 fornecedores diferentes. Esse conteúdo pode ser importado diretamente para o software de CAD do usuário.

Dentro do marketplace, os compradores poderão gerir os contatos com diferentes fornecedores e fazer pagamentos.

“Hoje as necessidades de pequenas e médias empresas são atendidas por uma série de soluções especialistas ou mesmo resolvidas de maneira não estruturada, por meio de trocas de e-mails e telefonemas”, explica Bassi.

Com os lançamentos, uma empresa com cerca de 20 profissionais na área de design ampliará a quantidade de possíveis fornecedores, ajudando a reduzir custos, garante o executivo.

De acordo com Bassi, os canais da SolidWorks terão um papel central no 3DExperience Marketplace, já seja cadastrando fornecedores ou mesmo diretamente (muitas das revendas da multinacional oferecem serviços de impressão 3D, por exemplo).

Os dois tipos de serviço oferecidos são só o começo, garante Bassi. No futuro, o 3DExperience Marketplace poderá servir também para contratar mão de obra para projetos determinados, ao estilo Uber.

“Nossa visão é entregar a digitalização completa da manufatura”, resume Bassi. Os planos incluem também o Brasil, onde a empresa deve inaugurar um data center próprio ainda em 2018.

O background de Bassi é na área de tecnologia: antes de assumir como CEO, o profissional era VP de Pesquisa e Desenvolvimento.

Bassi foi fundador da Riwebb, uma consultoria focada em PLM que tinha entre seus clientes a Autodesk e foi comprada pela SolidWorks em 2011.

Desde a sua nomeação para o cargo de CEO, em 2015, o executivo italiano tem conduzido uma ritmo acelerado de lançamentos dentro da SolidWorks, criando todo um universo de soluções cloud funcionando em conjunto com o tradicional software de CAD on premise da empresa.

No último SolidWorks World, os anúncios envolveram funcionalidades de colaboração e controle de projetos e automação de design.

A empresa inclusive criou um software de CAD do zero para rodar exclusivamente na nuvem, uma movimentação ousada em segmento da indústria de software conhecido por muito cauteloso em embarcar em novas tendências.

“Softwares de gestão empresarial, de vendas ou de recursos humanos embarcaram na tendência muito mais rápido. Mas é preciso entender que CAD é um mundo diferente, no qual é mais difícil entregar valor”, resume Bassi.

Mesmo assim, sinal dos tempos, a AWS foi uma das patrocinadoras do evento, uma posição geralmente ocupada por fabricantes das poderosas workstations necessárias para rodar softwares de CAD.

*Maurício Renner cobriu o SolidWorks World em Los Angeles a convite da SolidWorks.

Maurício Renner