Carlos Hernandez e Uzi Halfon.

Acaba de abrir as porta no Brasil a Be One Solutions, uma multinacional suíça especializada no software de gestão para pequenas e médias da SAP Business One com um foco bastante específico: projetos de implementação da solução em subsidiárias de multinacionais.

A ideia é que grandes corporações não precisam fazer um roll dos sistemas para grandes empresas da SAP nas suas filiais pelo mundo, que podem ser atendidas por uma solução de menor porte. 

A companhia chegou ao Brasil por meio de um projeto na subsidiária local da Lord, gigante americana de química. 

“Nossa ideia é tanto atender multinacionais aqui como empresas brasileiras que estejam se internacionalizando”, aponta Carlos Hernandez, gerente geral da Be One Solutions no Brasil. 

Hernandez trabalhou como especialista em Business One no México e depois foi transferido para a operação brasileira da SAP.

Fundada em 2008, a empresa duplicou sua equipe no ano passado, totalizando 50 pessoas em 13 países como Alemanha, França, Índia e China.

Ao longo da sua trajetória, a empresa já atendeu 300 grandes organizações, fazendo implementações de B1 em 2,1 mil subsidiárias.

“Somos o maior parceiro da SAP para Business One no mundo. O segredo é o foco e o alcance global”, explica Uzi Halfon, CEO da Be One, sem abrir números sobre faturamento empresa.

Halfon está envolvido com o Business One desde os primórdios da ferramenta, oriunda da aquisição pela SAP da israelense Top Manager, ainda em 2002. O profissional era funcionário da empresa e passou por diversas posições dentro da SAP, sempre em relação ao B1.

De acordo com o empresário, o problema de atuar no nicho em que a Be One atua é que a maioria dos parceiros do B1 (são 25 no Brasil, por exemplo) atua com foco regional e não é capaz de levar a cabo implementações do sistema em meia dúzia de países diferentes. 

Por outro lado, as grandes consultorias SAP, focadas nos produtos topo de linha, muitas vezes não tem a expertise com o Business One, ou mesmo a equipe comercial focada em um produto de menor valor.

Fatos recentes corroboram a visão do israelense. Em setembro do ano passado, por exemplo, a Sonda IT, uma das maiores parceiras da SAP no país, transferiu o atendimento dos seus clientes do software de gestão para pequenas e médias SAP Business One para a paulista G2 Tecnologia, saindo desse mercado.

O tipo de projeto que a Be One oferece, no entanto, tem demanda no mercado. Um exemplo é a gaúcha Artecola, que em 2010 implementou o B1 integrado ao ERP da SAP em suas filiais do Chile e da Colômbia, em um projeto realizado pela ITS Group, outro parceiro SAP que não atua mais no mercado Business One.