Em até três meses o Easy Taxi terá um sistema VOIP de ligações. Foto: Ivakoleva/Shutterstock.

Depois de uma petição no site Change.Org pedindo que o Easy Taxi adotasse medidas contra assédio em seu aplicativo alcançar 27 mil assinaturas, o CEO da empresa, Dennis Wang, informou que em até três meses estará funcionando no app um sistema VOIP de ligações em que taxista e passageiro podem se comunicar sem visualizarem o número um do outro. 

A petição começou depois de uma série de relatos de passageiras sobre o comportamento inadequado de motoristas que, depois da corrida, utilizavam aplicativos como o WhatsApp para mandar mensagens para as usuárias de apps de táxis.

No WhatsApp, mulheres relataram receber mensagens como “gostei de ti”, “te achei sexy” e “vagabunda, vadia e otária”. 

A informação de Wang foi passada para a criadora da petição, Ana Clara Leite, que comemorou a decisão no Facebook.

"A gente sabe o que é ser assediada, todo dia, de todas as formas, em todos os espaços. Não solucionamos o problema, mas minimizamos e chamamos a atenção das empresas para isso", escreveu.

No abaixo assinado, ela pedia que o Easy Taxi permitisse ao cliente escolher divulgar ou não seus dados (incluindo telefone e nome) ao taxista na hora da corrida.

Wang acrescentou que antes da nova ferramenta entrar em funcionamento, quem não quiser ter seu telefone compartilhado no aplicativo solicitar a retirada pelo e-mail telefone@easytaxi.com.br.