Marcus Granadeiro, presidente do Construtivo. Foto: Divulgação.

Especializados em fornecer tecnologia para o setor de engenharia, construção e incorporação, o Construtivo e a WLF Systems lançaram de forma conjunta o Colaborativo BI.

A solução nasce da integração dos softwares carros-chefes das companhias: o Colaborativo, ferramenta de colaboração em nuvem do Construtivo; e o Hiperdados, software de business intelligence da WLF. O sistema será disponibilizado na nuvem e vendido como serviço.

Enquanto a Construtivo tem cerca de 100 clientes ativos (como CSN, CEEE, Cyrela Sul, Makro e Raízen), a WLF atende a 22 empresas.

Segundo a empresa, o Colaborativo BI pode ser implementado em apenas alguns dias e tem baixo custo por operar no modelo de assinatura, o que elimina os investimentos com infraestrutura.

A ferramenta é fornecida a partir dos servidores da Construtivo em data center nacional padrão Tier III. Num primeiro momento, o foco será atuar no mercado de incorporadoras imobiliárias, pois para este setor já há uma versão plug and play do Colaborativo BI, que se integra aos ERPs Sienge e Mega, muito utilizados no segmento.

O Colaborativo BI integra-se aos ERPs e busca as informações para trazê-las ao ambiente dimensional, no qual são trabalhados indicadores para tomadas de decisões em tempo real a partir de painéis de controle.

O Colaborativo BI traz números consolidados, além de métricas de vendas e ocorrências, permitindo abranger as questões comerciais do negócio, que são dados voltados para a direção das empresas de engenharia.

“A informação é algo perecível. Tomar uma decisão depois de 30 dias do ocorrido, que é quando ocorre o fechamento dos sistemas transacionais, pode não ser a melhor forma de evoluir o negócio, daí a importância do uso de um sistema de inteligência de negócios” acrescenta o presidente do Construtivo, Marcus Granadeiro.

A ideia é disponibilizar a informação em um ou em até três cliques por meio dos cerca de 30 templates desenvolvidos.

Em um dos templates, por exemplo, é possível analisar, sob a ótica da viabilidade econômica e financeira, a produção de empreendimentos imobiliários desde o seu lançamento até o último evento financeiro.

“Nossa sinergia com o segmento alvo, tendo inclusive clientes em comum, facilitará a aderência do Colaborativo BI no mercado. Além disso, em um momento de crise, a importância de se ter poder de manipular dados, entender tendências e fazer simulações passa a ser fundamental”, finaliza Granadeiro.

A Construtivo, empresa de fornecimento de solução para gestão e processos para o mercado de engenharia, com oferta na nuvem e na modalidade SaaS, foi fundado em 1999 pelo Banco Santander espanhol. Em 2004, a operação brasileira se tornou independente.