Fernanda Lima, apresentadora do programa. Foto: Divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

O programa dominical Superstar parece não ter convencido a audiência. Nas últimas três semanas, o reality show high tech de bandas da Rede Globo perdeu sua liderança na audiência para o Programa Sílvio Santos, do SBT.

Há 50 anos no ar, o Programa Sílvio Santos concentrou 11,5 pontos contra 10,5 do Supestar, segundo os dados do Ibope.

Cada ponto no Ibope equivale a 193 mil indivíduos em média, na região da Grande São Paulo, 109 mil indivíduos na Grande Rio de Janeiro e 641 mil indivíduos no Painel Nacional de Televisão [PNT].

Lançado em abril, o programa Superstar da Rede Globo começou com 12 pontos na média do Ibope, mas a pontuação vem caindo progressivamente.

TECNOLOGIA DE PONTA

O programa Superstar, que originalmente chama-se Rising Star, é um modelo da TV portuguesa adquirido pela Rede Globo. Nele, concorrem bandas de todo o país.

A versão brasileira se diferencia do formato português para não se assemelhar com outro programa da casa, o The Voice Brasil, que voltará no segundo semestre.

Durante as apresentações, os internautas podem votar na banda que está se apresentando, para que continue no programa. A grande atração é o telão de geometria circular, de alta definição, que projeta imagens nos dois lados.

Para o palco, o telão de mais de uma tonelada, mostra uma "plateia virtual", no qual aparece a foto de quem vota na aplicação. Do outro lado do telão, jurados e plateia presente no estúdio assistem às apresentações das bandas.

APLICATIVO PROBLEMÁTICO

O aplicativo do programa possibilita que a audiência vote na sua banda preferida. No entanto, acaba frustrando muito telenautas por não funcionar como deve. Parece que o app não suporta o gargalo de usuários que tentam votar simultâneamente nas bandas ao vivo.

Tal situação reverbera no Twitter e negativa a imagem do programa.

O fato é que nenhuma emissora brasileira conseguiu, até hoje, lançar um produto capaz de mobilizar o público do universo da web para a tela da TV, ainda que tenham existido algumas iniciativas. O canal, que até pouco tempo era visto como imbatível, hoje sofre uma crise sem precedente.

Outra tentativa que não convenceu a audiência foi a repaginação do Fantástico. O programa, que é exibido antes do Supestar, foi totalmente remodelado, com investimentos em um novo espaço, de 500 metros quadrados com estúdio e redação integrados.

Além disso, uma tela de 25 metros quadrados, telão touchscreen, realidade virtual interagindo com os apresentadores e um robô de telepresença faz parte integralmente da redação.

No entanto, a atração não ultrapassou os 20 pontos de audiência e sofre apuros para se manter na liderança aos domingos.