Twitch.tv permite live streaming de jogatinas. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O YouTube, empresa controlada pelo Google, fechou um acordo de compra para levar por cerca de US$ 1 bilhão o Twitch.tv, site de streaming de vídeos de gameplay de videogame.

Segundo declararam fontes de mercado ao site Variety, o Google está interessado na alta audiência do veículo, que tem três anos de vida e já acumula cerca de 45 milhões de usuários mensais.

Para quem não conhece, o Twitch é um serviço de vídeo que permite usuários de XBox One, Playstation 4 ou PC fazerem streaming de suas jogatinas em tempo real para milhares de espectadores.

Visitando o site do serviço, é possível navegar por diversos canais, que mostram gamers jogando diferentes títulos, podendo entrar nas sessões, sejam elas gravadas ou transmitidas em tempo real. Também é possível conversar com os jogadores ou pessoas que estejam no mesmo canal.

O maior impulso para o Google comprar o Twitch, segundo destaca o Business Insider, é de fato o uso da tecnologia de streaming em tempo real, um recurso da plataforma usado com muito mais frequencia e sucesso do que no YouTube, por exemplo.

Além das parcerias com os videogames da Sony e Microsoft, o Twitch tem acordos com torneios internacionais de videogame, transmitindo partidas via streaming no site. A empresa também conta com acordos com os sites de games GameSpot e Joystiq para divulgar sua programação.

O site conta com um sistema de faturamento semelhante ao YouTube, em que anúncios curtos são inseridos antes dos vídeos, e a renda é dividida com os donos dos canais. Também é oferecida uma modalidade onde o dono de canal paga uma mensalidade ao Twitch e os anúncios são removidos. 

A receita tem dado bons resultados. Segundo informações do Twitch, a startup já acumula um tráfego de dados superior ao do Facebook e do streaming de TV Hulu. Além disso, a plataforma já arrecadou desde o seu início cerca de US$ 35 milhões em investimentos.

No entanto, a aquisição ainda deve passar pelo crivo dos legisladores norte-americanos, para determinar se a compra não seria uma atitude anti-competitiva do Youtube. Vale lembrar que atualmente, vídeos de gameplay de videogame compõem uma parcela considerável de tráfego dentro do serviço de streaming do Google.

"Se a aquisição for adiante, se tornaria uma das maiores na história do Youtube e daria ao Google acesso a um dos sites da internet com maior tráfego", afirma Jillian D'Onfro, analista do Business Insider.