A UFAL ampliou em 250% o número de usuários conectados à rede wi-fi nos últimos dois anos. Foto: Divulgação.

A Universidade Federal de Alagoas ampliou em 250% o número de usuários conectados à rede wi-fi nos últimos dois anos a partir da remodelação da infraestrutura wired e wireless. Com investimento aproximado de R$ 9 milhões, a instituição substituiu a rede antiga por um projeto da Extreme Networks.

A empresa foi a vencedora da licitação aberta pela instituição. O projeto combina switches de topo de rack, switches de borda, controladores de acesso ao sinal wireless e gestão integrada de rede, além de switch Black Diamond no data center.

Os objetivos da mudança, segundo o coordenador de Redes e Infraestrutura da Ufal, Francisco Bruno, foram garantir maior estabilidade à rede de dados e, em um segundo momento, estabelecer um gerenciamento que não existia para que os ativos da instituição pudessem ser controlados remotamente. 

“Tínhamos uma rede muito complexa, sem gerenciamento e o trabalho de manutenção era manual. O resultado era o alto tempo de downtime, por exemplo”, relata Bruno.

Como resultado do projeto, iniciado no final de 2012, a Ufal possui hoje uma rede 100% monitorada em tempo real, ativa em 95% do tempo, que possibilitou a concretização de projetos de comunicação para aprimorar o aprendizado, permitir maior desempenho na comunicação e melhorar a experiência dos usuários com a informação.

Entre os projetos estão o Rede VoIP (Voz por IP) e o wi-fi no campus, que disponibilizou o acesso à rede wireless da universidade para os diversos públicos da instituição – alunos, professores, pesquisadores, etc.

A instituição segue agora para novas etapas do projeto de modernização da infraestrutura de TI. Segundo Helder Farias, gerente de Vendas da Extreme Networks na região Nordeste e responsável pelo atendimento à Ufal, as próximas fases propostas são a melhoria na segurança e controle unificado da rede e aprimoramento na gestão em tempo real. 

“Soluções como NAC/BYOD (segurança), o Purview (análise de aplicações) e gerenciamento unificado (o Netsight) desse ambiente e permitem que a universidade se antecipe a prováveis problemas causados por acesso indevido (ou não controlado) à rede”, explica Farias.

A Extreme Networks está presente em mais de 80 países e tem no portfólio produtos de comutação e roteamento para data center e redes core-to-edge, LANs seguras com e sem fio e soluções de transporte Ethernet.