Leovani Marques, sócio-diretor da Fusion. Foto: divulgação.

O aval de clientes como a Quero-Quero, rede de varejo com 220 lojas no Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina e mais de três mil funcionários, são a base da nova estratégia da Fusion, consultoria SAP fundada há três anos em Porto Alegre por seis sócios ex-Sonda Procwork.

Com a proposta de tratar sistemas fiscais na base nativa do SAP, minimizando o uso de sistemas satélite, a consultoria manteve o modo low profile durante todo um período de consolidação. Agora, vem para a vitrine, e o case da varejista gaúcha é pilar.

“A equipe que hoje dirige a Fusion trabalha conosco desde a implantação do SAP, por volta de 2007. Após a fundação da consultoria, já realizamos diversos projetos com eles, em áreas como Speds contábil, fiscal, PIS/Cofins e outras obrigações”, comenta o gerente geral de TI da Quero-Quero, Nilton Chagas.

Para o executivo, o know how dos formadores da empresa, que hoje tem quatro consultores alocados na varejista, é a própria mão na roda, já que evita dispêndio de tempo e contratações diversas para definição de soluções.

“Com as constantes mudanças e novidades no sistema tributário e fiscal brasileiro, é interessante ter um tratamento integrado, que evite o desgaste com desenvolvimentos junto a diversos fornecedores para atender a cada demanda”, comenta Chagas.

Contínuo, o trabalho da Fusion para a Quero-Quero segue com o projeto em andamento de um aplicativo para Manifestação do Destinatário.

Trata-se de uma determinação da Receita Federal dentro do âmbito da NF-e que passa a ser exigida a partir de 01 de julho 2013 e reúne eventos para permitir ao destinatário da nota se manifestar sobre sua participação comercial descrita no documento eletrônico, confirmando ou não as informações prestadas pelo emissor.

Chagas conta que, apesar do trabalho para integração de todas as obrigações fiscais no SAP, algumas apurações de impostos e outras obrigações ainda permanecem fora do ERP alemão.

“É pouca coisa. O plano é, com o tempo, conforme for sendo possível criar integração nativa sem dispêndio de desenvolvimento, lançar tudo para dentro do SAP”, comenta o gerente de uma TI que soma cerca de 44 pessoas, distribuídas entre a sede, em Cachoeirinha, e o data center, em Santo Cristo.

Na carteira da Fusion, o cliente se soma a uma base de cerca de 20 empresas, incluindo nomes como Betanin, BSBios, Zamprogna, Intecnial, Fallgatter, Perusso, Rede Vivo e GSI.

Quietinha até agora, a consultoria se lança no que o gestor Comercial, Leandro Lopes, define como “o início da era da pró-atividade”.

O executivo, que era diretor de Serviços da Sonda IT em Porto Alegre até fevereiro passado, chegou à companhia para assumir a ponta da mudança.

“Até agora, muito do nosso trabalho veio por indicações, boca a boca, já que estamos neste mercado há anos. Agora entramos com uma área comercial estruturada, vamos começar um trabalho de prospecção e expansão territorial, atendendo a partir da capital gaúcha”, comenta o também sócio-diretor Leovani Marques.

A estratégia também passa pelo time, que tem mais de 30 consultores, especializações e uma fábrica de desenvolvimento dedicada às adaptações necessárias no SAP para atendimento das regras de negócio de cada cliente.

Parcerias também entram no foco, como a firmada com a Fontoura Education, pela qual a Fusion garante a contratação de um profissional que tiver melhor desempenho nas próximas duas academias de ABAP da escola porto-alegrense.

“Nossa meta é manter a média de crescimento ao dobro por ano que temos tido desde a nossa fundação”, finaliza, sem revelar faturamento, Francisco Gonzales, sócio-diretor e gerente de Projetos e Operações da Fusion.