Baguete
InícioNotícias> IBM revela transistor que não vaza elétrons

Tamanho da fonte:-A+A

INOVAÇÃO

IBM revela transistor que não vaza elétrons

Júlia Merker
// segunda, 19/06/2017 14:04

A IBM, em colaboração com Samsung e GlobalFoundries, fabricante de chips, desenvolveu um novo tipo de transistor composto por três folhas de silício dispostas horizontalmente e cercadas por um material dielétrico. 

A IBM revelou um transistor que pode garantir avanço da lei de Moore.

Os dispositivos ainda permanecem como protótipos de laboratório, mas os engenheiros da IBM consideram que eles devem permitir que a lei de Moore continue avançando até meados dos anos 2020.

A lei de Moore afirma que o número de transistores que podem ser agrupados em um chip duplica a cada dois anos. À medida que os transistores ficam menores, passou a parecer difícil dar seguimento a essa observação, mas a nova revelação da IBM pode manter o cenário.

A The Economist explica que, considerada a complexidade dos chips de computador, seus componentes básicos são simples. Os transistores são nada mais do que switches. 

Para ativar um, uma tensão é aplicada em uma parte dele, que permite que a corrente elétrica flua através de um canal entre a entrada e a saída do transistor. 

À medida que os transistores encolhem, o isolamento se degrada e a corrente que aplica a tensão tende a escapar, reduzindo a capacidade de controlar o canal. Uma razão para isso é um fenômeno chamado tunelamento quântico, em que a incerteza da posição de um elétron resulta nele ser encontrado em outra parte do transistor sem ter atravessado fisicamente o caminho.

Para a The Economist, a IBM estuda agora diversas ideias para seguir diminuindo seus produtos.

A publicação aponta que uma possibilidade é usar novos materiais, como tubos compostos de folhas de átomos de carbono enroladas, cujas propriedades físicas permitem que os componentes sejam menores. 

Outra é criar uma virtude de necessidade e criar dispositivos que aproveitem estranhezas quânticas, como tunelamento, em vez de tentar resistir a elas. Uma terceira opção é empilhar transistores um em cima do outro, mantendo a área de um chip igual, mas aumentando seu volume.

Júlia Merker