João Francisco dos Santos. Foto: divulgação

O BNDES aprovou financiamento de R$ 1,4 milhão para a Cianet, de Florianópolis, desenvolver uma solução de IPTV de baixo custo.

O aporte do banco de fomento representa 90% do valor total do projeto, que possibilitará a oferta, por pequenos e médios provedores de acesso, do serviço de TV por assinatura pela mesma rede em que oferecem o serviço de internet.

À Cianet caberá o desenvolvimento de um middleware para interface entre o hardware e os aplicativos, gerando um sistema interativo que permitirá acesso a vídeos sob demanda, pausa da programação, acesso a programas passados, conexão da TV à web e formato para dispositivos móveis.

A empresa catarinense, que é credenciada como fornecedora no portal de operações do Cartão BNDES, já iniciou os testes de campo e lançará em breve a primeira versão da solução ao mercado.

A meta é desenvolver novas funcionalidades até o fim do ano.

A Cianet, que emprega atualmente 68 funcionários, prevê a criação de mais cinco postos de trabalho até dezembro, em função dos novos investimentos.

A empresa de Florianópolis é especializada em soluções de banda larga e conectividade, e encerrou 2012 com faturamento de R$ 21 milhões, alta de 75% sobre 2011, e tem meta de crescer novos 60% este ano.

A companhia tem tradição na aplicação de investimentos de órgãos de fomento.

O negócio figura como melhor desempenho da carteira nacional e maior investimento já feito pelo Criatec, fundo do Bndes e Banco do Nordeste, segundo declarou anteriormente ao Baguete um dos gestores do Criatec, Reinaldo Almeida Coelho.

Ele avalia a trajetória da companhia catarinense, que em 2012 cresceu mais do que o próprio mercado de banda larga fixa no Brasil, cuja expansão foi de 16% (dados da Telebrasil).

“Fizemos duas rodadas de aporte na empresa, totalizando R$ 4 milhões. E o desempenho é impressionante: em 2007, quando foi inicialmente avaliada, a Cianet faturava na casa dos R$ 3 milhões. Hoje, são mais de R$ 20 milhões”, analisou Coelho.

Por regra, o Criatec investe um limite máximo de R$ 5 milhões em cada negócio.

Em abril, o presidente da organização catarinense, João Francisco dos Santos, declarou que 2013 seria um ano de investimentos, com foco em software e serviços, incluindo a área de IPTV.

Voilá. O plano, que vem da teoria para a prática agora, expande a atuação de uma companhia que já conta com mais de 1,8 mil clientes em todo o Brasil.

O negócio também se fortalece com parcerias, como a firmada no fim do ano passado com a taiwanesa Comba Telecom, provedora multinacional de soluções de aperfeiçoamento wireless.