Pessoal não tá comprando. Foto: divulgação.

A Microsoft admitiu nesta quinta-feira, 18, um revés financeiro de cerca de US$ $900 milhões, devido a "ajustes de estoque" de seu tablet Surface RT, aparelho lançado no final de 2012 e que não vingou nas prateleiras.

Segundo destaca a Computerworld norte-americana, os números foram divulgados nos resultados financeiros do quatro trimestre de 2012, publicados após o fechamento do mercado nos EUA.

Depois do desempenho fraco nas lojas, a Microsoft apelou para descontos agressivos em seu aparelho, que roda o criticado Windows RT, versão simplificada do Windows 8.

Para bombar suas vendas, a fabricante já chega a dar descontos de US$ 150, derrubando o preço do modelo de 32GB de US$ 499 para US$ 349. O modelo de 64GB caiu de US$ 599 para US$ 449.

No entanto, este alto prejuízo em função do Surface não reflete apenas os decontos dados, mas também o estoque do produto que ficará encalhado nas lojas.

Quanto ao plano geral das coisas, a Microsoft registrou renda de US$ 19,9 bilhões no trimestre, um aumento de 10,3% sobre o mesmo período em 2012.

No entanto, o lucro de US$ 0,59 por ação ficou abaixo do esperado, que era de US$ 0,75. Isso pegou mal para a empresa na bolsa norte-americana, que registrou uma perda de valor de mercado de US$ 36 bilhões para a companhia.

O fracasso da Microsoft com o Surface remete a outra fabricante que também se deu mal ao se aventurar no mercado de tablets, a canadense Blackberry, que lançou em 2011 o Playbook.

O aparelho vendeu cerca de 2,5 milhões de unidades em todo o mundo, rendendo um prejuízo de US$ 485 milhões à companhia. Nesta quinta-feira, 18, a Blackberry anunciou a suspensão de atualizações para o dispositivo.

Já na concorrência, o mercado de tablets vai bem, obrigado. Embora a concorrência - dividida entre pesos pesados como Samsung, Apple e Amazon - seja alta, os números de venda também são.

No primeiro trimestre de 2013, segundo números do IDC, foram vendidos cerca de 17,5 milhões de tablets nos Estados Unidos.