As mudanças no segmento de segurança serão abordadas na Conferência Segurança & Gestão de Risco.

O Gartner aponta que o mercado de software de segurança está passando por uma importante transformação causada por quatro principais fatores: o uso de analytics avançado; ecossistemas expandidos; adoção de software como serviço (SaaS) e de serviços gerenciados; e o aumento de regulamentações punitivas.

Para a consultoria, os quatro movimentos estão fazendo com que as organizações repensem seus investimentos e requisitos de software de segurança e gestão de risco.

“O mercado de segurança em geral está passando por um período de disrupção graças à rápida transição para os negócios digitais baseados em nuvem e aos modelos de tecnologia que estão mudando a forma como as funções de segurança e risco entregam valor às organizações”, explica Deborah Kish, analista de pesquisas do Gartner. 

Ao mesmo tempo, ela explica que o cenário de ameaças e o aumento no número de incidentes de alto impacto também estão gerando demanda por inovações e tecnologias de segurança que ofereçam maior efetividade.

O primeiro fator de mudança é que, até 2020, analytics avançado será integrado em ao menos 75% dos produtos de segurança.

As capacidades analíticas mais avançadas são norteadas por uma série de tecnologias subjacentes, como heurística, inteligência artificial e aprendizado de máquina, entre outras. 

Para o Gartner, os fornecedores de sucesso trabalharão com clientes e prospects para entender os casos em que o analytics entregará valor significativo e ampliará equipes e recursos de segurança limitados.

Outro fator importante será o de adquirir e integrar produtos e tecnologias, que será uma estratégia fundamental para aumentar o market share e entrar em novos mercados.

Devido à predominância de startups e fornecedores menores, a busca por abordagens inovadoras para problemas de segurança e as estratégias de aquisição, integração e consolidação são altamente eficazes para aumentar o market share e entrar completamente em novos mercados. 

Além disso, a busca do consumidor final por flexibilidade aumentará a adoção de SaaS, o que também afeta o mercado de segurança.

O Gartner acredita que compradores de produtos de segurança estão tomando decisões de investimento que suportem os negócios digitais, se ajustem aos seus desafios atuais e entreguem desempenho de valor. 

No entanto, para a companhia, os fornecedores devem considerar as implicações financeiras de manter suporte para o legado de produtos de segurança enquanto investem em produtos “como serviço” e serviços gerenciados.

Por fim, o ambiente regulatório criará oportunidades para provedores de software de segurança.

O General Data Protection Regulation da União Europeia entrará em vigor em 25 de maio de 2018 e poderá fazer com que organizações paguem multas altas caso seja relatada alguma reclamação sobre incapacidade com dados privados.

Regulamentações punitivas irão gerar tensão no alto escalão das empresas, norteando as tomadas de decisão quanto ao orçamento para software de segurança com base nos potenciais impactos financeiros de multas e não conformidade. 

Para o Gartner, os provedores precisam identificar os principais requerimentos e restrições regulatórias em suas regiões de interesse por meio da atuação junto a conselhos legais para entregarem opções de produtos e serviços que amenizarão a tensão dos líderes empresariais.

O tema das mudanças que afetam o segmento de segurança será abordado durante a Conferência Gartner Segurança & Gestão de Risco, que acontecerá nos dias 8 e 9 de agosto no Sheraton São Paulo WTC Hotel.