Faturamento da Oracle abaixo do esperado. Foto: divulgação.

A Oracle liberou nesta quinta-feira os resultados para o último período - o primeiro trimestre fiscal de 2014 - e pela terceiro trimestre seguido ficou devendo na expectativa de receita.

Segundo os números da empresa, a receita da fabricante ficou em US$ 8,38 bilhões, enquanto a expectativa de analistas era de US$ 8,48 bilhões. O esperado era um modesto aumento de 3,3% ano-a-ano, segundo destaca o Business Insider, mas nem isso foi atingido.

Com a sequência de trimestres fracos na venda, Mark Hurd, CEO da Oracle, anunciou planos e reformulações para dar um novo gás para o setor comercial da companhia e incrementar as vendas. Pelo jeito, a estratégia não vingou.

O complicado quadro da empresa teve reflexos também no Brasil, com a saída de importantes executivos, inclusive do setor de vendas.

Desde o ano passado, saíram da empresa da vice-presidência de Alianças e Canais para a América Latina, Sandra Vaz, que foi para a SAP Brasil para assumir um posto similar, e o vice-presidente para América Latina de BI e enterprise performance management, Desmond Mullarkey, que também foi para a rival alemã.

Mesmo com as saídas, segundo informações da própria Oracle, a região América Latina registrou um crescimento de 15% em seu faturamento de novas licenças, ajudando o crescimento deste segmento globalmente, fechando em 4%.

Para impulsionar sua estratégia mundial, a Oracle anunciou no último trimestre uma renovada e ampliada parceria com a Salesforce, empresa de CRM na nuvem que registra crescimentos contínuos em seus balanços trimestrais.

A oferta da Salesforce será uma forma de impulsionar a nova solução de banco de dados da companhia, o Oracle 12C, desenvolvido especialmente para servidores na nuvem. Outro parceiro da Oracle é a Microsoft, com o Azure.