Ruben Delgado e Diônes Lima.

Ruben Delgado e Diônes Lima, respectivamente presidente e vice-presidente da Softex, OSCIP focada na promoção do setor de software brasileiro, foram reeleitos para permanecer nos seus cargos por mais dois anos.

A decisão se deu durante a reunião do conselho de administração da Softex, que aconteceu durante o Rio Info, evento promovido pela Riosoft, um dos agentes regionais da Softex.

Delgado já preside a Softex desde 2011 e Oliveira está no seu cargo desde 2015.

A continuidade não era tão óbvia, uma vez que o controle do Conselho de Administração passou em junho para o deputado federal Marcos Pereira (PRB-SP).

Pereira é presidente do PRB e um dos expoentes da bancada evangélica no Congresso Nacional. 

O novo presidente do conselho da Softex tem experiência administrativa dentro de empresas ligadas à Igreja Universal: foi vice presidente da Rede Record e diretor do diretor do Banco A.J. Renner S/A.

O conselho que elegeu Pereira e agora reelegeu Delgado e Oliveira combina representantes de órgãos de governo ligados à ciência e tecnologia, como a Finep e Ministério de Ciência e Tecnologia, representantes de entidades do setor como Assespro e SBC, além dos operadoradores regionais da Softex, como a Riosoft, Senai Londrina e Softex Recife.

A Softex é um remanso relativamente tranquilo da máquina pública federal, mas nos últimos tempos isso não é garantia de nada. 

Basta ver o caso da Apex, agência que atua em um modelo parecido com a Softex, mas visando a economia em geral: desde o começo do governo Bolsonaro, a Apex já teve três presidentes, derrubados em meios de celeumas públicas e histórias bizarras.