BSC INSTRUMENTALIZADO

Datacoper compra BAV

19/12/2012 11:32

Empresa paranaense projeta fechar dez novos contratos diretos e outros cem via parceiros com BAV.

Cesar Bernardon, presidente da Datacoper. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A paranaense Datacoper projeta fechar dez novos contratos diretos e outros cem via parceiros com impulso da BAV, empresa de Blumenau que adquiriu em uma transação em dinheiro, de valor não revelado.

A compra agrega ao portfólio da Datacoper o Painel Estragégico, solução que instrumentaliza em um software uma metodologia semelhante ao BSC, reunindo dados e análises táticas e estratégicas para a criação de simulações de cenários decisórios futuros.

Em uma tela única, dados de diagnóstico, saneamento e crescimento empresarial são apresentados, otimizando medições e identificação de pontos fortes e fracos, induzindo ações corretivas para aumento de produtividade, rentabilidade, geração de caixa e  bens intangíveis, entre outros.

“A metodologia foi patenteada dez anos antes do BSC e, já na época, atendia às quatro perspectivas do Balanced Scorecard, mas instrumentalizada em uma ferramenta”, conta Cezar Bernardon, presidente da Datacoper e, agora, também da BAV.

A marca da catarinense será mantida, mas a sede passa para Cascavel, mantendo Blumenau como filial.   

O sócio Carlos Guedes passa a ser o diretor executivo da companhia adquirida e o fundador da BAV e do software carro-chefe da empresa, Detlev Kahrbek, passa à presidência do conselho.
Nilson Brigido, consultor e responsável pelo suporte da metodologia da BAV, também entra no conselho.

A Datacoper é especializada em soluções gerenciais para cooperativas agropecuárias. A empresa mantém o braço Vistra, que vende o BI de mesmo nome, e para 2012 a previsão do grupo é faturar R$ 7 milhões, 15% a mais do que em 2011.

Ao todo, o grupo soma 130 colaboradores, e atende diretamente via Datacoper, com as vendas da Vistra ministradas somente por parceiros, em uma rende que soma 32 nomes, cuja estrutura de atendimento chega a mais de 60 mil empresas.

“Desenvolvemos soluções de ERP, CRM e, há menos de três anos, fundamos a Vistra. Com a BAV, agregamos uma metodologia e ferramenta de vanguarda para a gestão estratégica das empresas”, afirma Bernardon.

No segundo ano da aliança,a meta é partir para o mercado externo. Ou melhor: reforçar a atuação, já que hoje empresas brasileiras que têm unidades fora do país já utilizam a solução da BAV.

“Pretendemos nos fortalecer no mercado dos EUA e Europa”, comenta Bernardon.

Para dar andamento a todos os planos de crescimento, a aposta também está nas parcerias com canais.

“Nossa intenção é agir em rede. Firmaremos alianças entre empresas desenvolvedoras de software, de consultoria, auditoria, contabilidade, organizações focadas em gestão, universidades e também em clientes diretos”, finaliza Carlos Guedes.

Veja também

BITS: Datacoper é TI no agronegócio

A Datacooper, de Cascavel, trouxe suas soluções de gestão, BI, CRM e mobilidade para a BITS 2011, realizada da terça-feira, 10, à quinta, 12, em Porto Alegre.

No evento, a companhia paranaense ressaltou sua meta de crescimento de 20% estipulada para este ano com base especialmente nas ferramentas de CRM integrado à mobilidade, que possibilitam aproximar e gerenciar o relacionamento entre organizações como cooperativas e indústrias cerealistas e de insumos e o produtor rural.

Leite engorda negócios da Datacoper

A TI é uma aliada do setor agrícola tanto quanto defensivos ou adubo já faz tempo.

E é neste filão que aposta a paranaense Datacoper, sediada em Cascavel, para aumentar em 60% sua base instalada de sistemas em 2011.

Datacooper tem novo cliente no Paraguai

A Novara, importadora de agroquímicos sediada no Paraguai, acaba de adotar o Vistra BI, da Datacoper Software, de Cascavel.

A empresa paraguaia é considerada a terceira maior importadora de agroquímicos de seu país, segundo dados próprios. Com o BI da fornecedora paranaense, a companhia conseguiu otimizar as atividades de obtenção e análise de índices e números referentes à gestão.

JExperts: BSC para Tribunais de Contas

A plataforma Channel, da catarinense JExperts, será implantada em até 30 tribunais de contas brasileiros este ano para gestão de estratégia, projetos e  processos de forma integrada e adequada às práticas do BSC e PMBOK.

O contrato, vencido via pregão presencial, contempla aquisição de 25 licenças da solução, sem limite de usuários, e é uma das apostas da empresa de Florianópolis para dobrar o faturamento, repetindo o feito de 2010.

Benner leva BI e BSC a universidades
A Benner Sistemas criou um programa de integração com universidades para disponibilizar sua plataforma de BI e Balanced Scorecard (BSC), sem custos, para utilização didática nas instituições. Até o final deste ano, a meta da empresa é credenciar ao menos dez faculdades.

A iniciativa envolve a plataforma DSS/Benner, criada a partir da compra da catarinense DSS e já utilizada por mais de três mil usuários em 80 organizações de todo o país.
 
PUC: especialização em Gestão Estratégica de TI

A PUC-RS abre inscrições para a 5ª edição da especialização em Gestão Estratégica de TI.

A atividade visa desenvolver conhecimentos sobre a aplicação das novas TIs, proporcionar conhecimentos sobre modelos e melhores práticas de Gestão e Governança, além de desenvolver uma visão organizacional sistêmica e estratégica da área.

TI lidera fusões no RS, diz KPMG

A TI liderou as operações de fusão e aquisição no Rio Grande do Sul no ano passado.

Foram 13 operações da área de TI – sendo sete empresas com sede no Rio Grande do Sul e seis entre as companhias com presença no mercado gaúcho, mas sede fora do estado.

No geral, o total de empresas com sede no Estado foi de 26 – queda de 10,3% ante o observado em 2010 (com 29 transações).

GANGORRA
Depois de queda, fusões em TI crescem

Ernst & Young Terco, e aponta que foram realizados 3.006 negócios no ano passado, 13% a mais do que os 2.658 de 2010

Cade: mudanças para facilitar fusões

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) analisa a possibilidade de criar até três novos formulários para prestação de informações por parte de empresas em processos fusão e aquisição.

TI: US$ 56,4 bi em fusões no 3T11, diz E&Y

A crise da Europa e o rebaixamento do rating dos EUA afetou fusões e aquisições em várias áreas, mas não na TI: no setor, estas operações cresceram 8%, sequencialmente, no terceiro trimestre de 2011, movimentando US$ 56,4 bilhões.

A avaliação é da Ernst & Young, no relatório trimestral “Global Technology M&A Update”.

TI é o setor que gera mais fusões e aquisições

Levantamento da KPMG indica que o setor de Tecnologia da Informação foi o que realizou o maior número de transações no primeiro semestre de 2011 no Brasil.

Foram 46 operações somente neste mercado (uma além do resultado anotado nos primeiros seis meses de 2010), sendo que 20 delas envolveram empresas de capital nacional.