Hugo Fabiano Cordeiro, o CEO da HFPX. Foto: Divulgação.

A HFPX, fundo de capital semente fundado este ano em Joinville, acaba de realizar um aporte na startup Giver, que mantém uma plataforma online para emissão, controle e distribuição de vale-presente.

Uma aposta do fundo catarinense em um mercado que só na América Latina movimentou US$ 20 bilhões em 2011, e, segundo o CEO da HFPX, Hugo Fabiano Cordeiro, deverá saltar para US$ 110 bilhões em 2021.

A Giver administra redes de gift cards chamadas de "closed loop", ou seja, cartões personalizados com a marca do varejista, que permitem seu uso somente dentro daquela rede.

A startup terceiriza todas as funções referentes ao vale-presente de varejo, desde a concepção do modelo de negócios, passando pela operacionalização, distribuição e venda, até o atendimento ao consumidor final.

A plataforma já opera no Paraná, Santa Catarina e Goiânia desde novembro de 2011. Com o aporte da HFPX, está na mira a expansão para todo o varejo nacional.

“Os vales-presente podem ser usados para conquistar e fidelizar clientes, recompensar funcionários, realizar campanhas de incentivos etc. Podem ser comprados diretamente nas lojas físicas, via site, Facebook, celular e pontos de vendas distribuídos pelo Brasil”, ressalta Cordeiro.

A HFPX foi lançada em março deste ano, com fundo total de R$ 20 milhões e meta de apoiar oito startups em 2012, com aportes entre R$ 100 mil e R$ 5 milhões, cada.

A Giver acaba de se tornar a quarta investida do fundo de venture capital, que já aportou nas paranaenses Foome, plataforma de delivery online, e Mecasar, site para organizar casamentos; além da catarinense Área Central, ferramenta para gerenciamento de centrais de compras.

O fundo também abriu, no mês passado, uma unidade em Curitiba.

“Apostamos na cidade devido ao alto poder aquisitivo e de exigência de qualidade da população, além de ser uma das sedes da Copa do Mundo em 2014", finaliza Cordeiro.