Gustavo Comitre, diretor de produto da Cuco Health. Foto: Divulgação.

A startup Cuco adicionou recursos de computação cognitiva ao seu aplicativo de saúde com o uso do Watson, da IBM.

O app funciona como um assistente de saúde digital e acompanha o tratamento de saúde dos pacientes, fornecendo lembretes sobre a hora de tomar os medicamentos, divulgando conteúdos de saúde de acordo com suas doenças e tratamentos, e informando familiares e amigos quando o paciente esqueceu de tomar o remédio na hora certa. 

Por meio de conceitos de games, a nova versão do aplicativo permite que o paciente acompanhe seu histórico de saúde e seja estimulado a seguir o tratamento corretamente até o final.

“Lembrar o paciente na hora certa de tomar seu medicamento aumenta consideravelmente os níveis de adesão ao tratamento, o que pode ser comprovado pelos números de adesão dos mais de 6 mil usuários diários do Cuco em sua primeira versão”, aponta Gustavo Comitre, diretor de produto da empresa.

O aplicativo, que é gratuito para pacientes, possui ainda diversas funcionalidades, como lista de medicamentos da Anvisa, histórico do tratamento, mensagens e dicas sobre tratamentos e doenças e a enfermeira digital desenvolvida com computação cognitiva para pacientes de operadoras de saúde e hospitais parceiros. 

Além de estar preparada para responder milhares de perguntas de saúde, a enfermeira digital ainda pode responder questões mais específicas do plano de saúde ou do hospital em questão, o que ajuda a personalizar a experiência do paciente.

Nos próximos meses, além das respostas por chat via texto, a assistente virtual poderá interpretar e responder pacientes por voz, o que torna a conversa mais natural.

Além do Cuco para pacientes, a empresa Cuco Health possui também soluções que atendem operadoras de saúde, hospitais e prefeituras, permitindo acompanhar e melhorar a adesão ao tratamento dos pacientes. 

O HCor, referência internacional em cardiologia, foi uma das primeiras organizações de saúde do Brasil a iniciarem um estudo sobre o uso de aplicativos de saúde em parceria com a startup Cuco.

O segmento de saúde apresenta um crescimento rápido do uso de assistentes virtuais e inteligência artificial.

Recentemente, entrou no ar o Docbot, assistente virtual de saúde que pode ser utilizado dentro do Facebook, a partir de uma conversa no Messenger. 

A ferramenta foi desenvolvida com APIs voltadas para inteligência cognitiva e artificial das empresas Microsoft e IBM. O chatbot realiza esclarecimento sobre sintomas de possíveis doenças e pode encaminhar o usuário para orientação à distância ou agendamento de consultas médicas.

O Watson foi lançado pela IBM em 2014, a partir de um investimento de US$ 1 bilhão da companhia. A empresa investiu intensamente na área de saúde após lançar o sistema, aplicando mais de US$ 4 bilhões nas compras das companhias Phytel, Explorys e Merge Healthcare.