Internet das Coisas é a bola da vez quando o assunto é tecnologia. Foto: Pixabay.

A Sonda fechou um acordo para vender as soluções da Sigmais, startup capixaba de internet das coisas (IoT).

Fundada em 2017, a Sigmais nasceu com foco no desenvolvimento de dispositivos de comunicação de redes sem fio e com baixo consumo de energia. 

A empresa mantém um laboratório próprio de pesquisa e desenvolvimento no Espírito Santo e possui certificação de rede lpwan (low power wide-area network). 

A Sigmais trabalha com tecnologia da Sigfox, multinacional francesa especializada em redes de comunicação máquina a máquina, e outros players como Loka Systems e Tago Io.

Apesar de nova,  a empresa tem nomes experientes por trás: o diretor é Heitor Nogueira, ex-country manager da Witelcom, uma companhia norueguesa de equipamentos de infra de telecomunicações.

Nogueira está na área de telecom desde 1993, com passagem por empresas como Comsat e Bertek.

Um dos executivos de contas é Antônio Lima, também no mercado desde os anos 90 e com atuações em uma série de players de telecom como Tellabs, Dialogic e Cisco.

De acordo com a Sonda, a Sigmais tem soluções aplicadas em fábricas conectadas, shopping centers e varejo inteligente, o que é mais ou menos quase tudo que se pode fazer com IoT. 

A ideia é combinar em projetos a tecnologia de sensores da Sigmais com as plataformas de inteligência analítica e Big Data da Sonda.

"A parceria possibilita que ofereçamos uma solução completa de IoT, passando pelas quatro fases do processo: o dispositivo, a conectividade, o backend e o analytics", comenta Caio Rainerio, vice-presidente de Aplicativos da Sonda.

A Sonda fechou o ano passado com uma receita consolidada equivalente a US$ 1,152 bilhão, o que representa uma queda de 15% frente aos resultados de 2017.

O lucro líquido também levou um tombo, caindo 76,4%, para US$ 15,4 milhões.

Em nota, a Sonda justificou os resultados pela depreciação do real brasileiro, do peso mexicano, do peso colombiano e do peso argentino, principalmente em relação ao peso chileno, afetou negativamente a conversão dos resultados.

Variações cambiais a parte, a Sonda está numa fase de altos e baixos. Em 2017, a empresa teve um faturamento de US$ 1,36 bilhão, uma alta de 12% frente aos resultados de 2016.