Nova rede da Vivo quer facilitar conexões para cidades inteligentes. Foto: Pexels.

A Vivo Empresas, unidade de negócios corporativos da Telefônica Brasil, passou a oferecer uma rede de internet das coisas com tecnologia Narrow Band IoT (NB-IoT) e Long Term Evolution for Machines (LTE-M). A primeira cidade a receber a oferta é Chapecó, em Santa Catarina.

Nos próximos meses, a empresa planeja oferecer a rede NB-IoT em todas as capitais.

Segundo a empresa, a rede NB–IoT responde melhor por dispositivos estáticos – com aplicações em projetos de cidades inteligentes, como iluminação pública, lixeiras, bueiros com sensores, sistemas de alarmes, monitoramento ou medidores inteligentes de água, luz e gás. 

Enquanto isso, a empresa considera que a tecnologia LTE-M apresenta melhor performance em aplicações que demandam mais mobilidade, como rastreamento de veículos, animais, objetos de alto valor ou pagamento por POS.

A Vivo conta hoje com mais de oito milhões de dispositivos conectados no segmento M2M-IoT (o que representa 42% deste mercado). Mais da metade dos dispositivos é gestionada na Vivo Kite Plataform.

Com o objetivo de incrementar o uso das redes NB-IoT e LTE-M, a Vivo buscará oferecer aos clientes B2B, ainda neste ano, a funcionalidade de embedded SIM (eSIM). A tecnologia de eSIM complementa o portfólio de SIM Cards tradicionais, viabilizando um novo modelo de negócio para a indústria. 

Na oferta, o SIM Card se torna um componente eletrônico e passa a ser embarcado nos equipamentos durante o processo de fabricação dos dispositivos.

Além disto, a partir da integração com a Vivo Kite Plataform, será possível ativar a linha sob demanda e iniciar automaticamente o funcionamento do serviço de comunicação.