Marcelo Azambuja, professor e pesquisador do IFSul. Foto: divulgação.

A Astrophysics Data System (ADS), biblioteca científica administrada pelo Observatório de Astrofísica do Instituto Smithsonian com verbas da NASA, publicou o artigo de Marcelo Azambuja, professor e pesquisador no Instituto Federal Rio-Grandense (IFSul).

Com o título Deterministic propagation model for RFID using site-specific and FDTD, a pesquisa foi realizada em colaboração com seis coautores e apresenta um novo método de simulação para ambientes RFID que demonstra potencial para reduzir custos aos usuários.

O estudo concentra esforços na fase em que a tecnologia RFID precisa ser ajustada ao local de uso para ser colocada em prática, apresentando uma nova metodologia de calibragem que propicia até 95% mais precisão no processo. 

No trabalho, foi possível demonstrar como o tipo de material onde a etiqueta é aplicada, como metal, plástico ou madeira, influencia no alcance de leitura das tags e na potência necessária para que essa leitura seja feita.

Além disso, o artigo apresenta modos para descobrir a força do sinal que toca a etiqueta e retorna ao leitor de radiofrequência. 

A metodologia pode ser replicada em outros cenários, otimizando processos de RFID em diferentes ambientes.

Doutor em ciência da computação pela PUCRS, Azambuja já atuou como engenheiro de machine learning na SellersFunding, startup americana de financiamento on-line para vendedores de e-commerce.

Antes, atuou na Faculdades Integradas de Taquara (FACCAT) como coordenador dos cursos de sistemas de informação, sistemas para internet e jogos digitais. O acadêmico também foi professor na Ulbra e na UCPel.

Criada em 1988, a ADS mantém três bancos de dados bibliográficos contendo mais de 13 milhões de registros com publicações em astronomia, astrofísica e física.