O TrabalhoJá recebeu R$ 20 milhões em uma nova rodada de investimentos. Foto: nito/Shutterstock.

O TrabalhoJá, focado em tecnologia de recrutamento para vagas operacionais, anunciou que a empresa recebeu R$ 20 milhões em uma nova rodada de investimentos. O investidor principal foi o Capital Indigo, com participação de Thayer Ventures do Vale de Silício, Mexico Ventures and Promotora Social México.

O grupo Assured Labor presta serviços para mais de 50 mil empresas e 2 milhões de candidatos entre Brasil e México, com as marcas TrabalhoJá e EmpleoListo. No Brasil, a empresa já fez contratações para companhias como Ambev, Oi, TIM, CSN e Atento.

“No ano passado nós dobramos nossa base de candidatos e crescemos nossas vendas em mais de 8 vezes. Essa nova rodada de investimento vai facilitar o crescimento de nosso time e vai acelerar o nosso crescimento. Estamos investindo no Brasil desde 2012 e temos tido retorno”, disse David Reich, co-fundador e CEO de Assured Labor. 

A plataforma tecnológica da TrabalhoJá conecta trabalhadores de nível operacional com as vagas disponíveis na sua região utilizando o canal que acharem mais fácil: internet, SMS, ou portal de voz. 

“A plataforma do TrabalhoJá foi criada especificamente para alcançar o público das classe C e D, ajudando as empresas a contratarem em alto volume com maior eficiência. Nosso clientes estão conseguindo fechar suas vagas de forma mais rápida e mais barata do que as tradicionais”, afirma Angelina Clarke, co-fundadora de TrabalhoJá. 

Outra empresa com foco em recrutamento de profissionais de nível operacional, a Emprego Ligado recebeu um aporte de valor similar no final do ano passado. A companhia recebeu US$ 7 milhões de um grupo internacional de investidores formado por empresas como Monashees Capital, e.Bricks e Qualcomm Ventures. 

A partir do investimento, a empresa, antes focada em internet e sms, anunciou o lançamento de seu app para Android na semana passada.

A mudança faz sentido, considerando que a maior base de proprietários de smartphones no Brasil está na classe C, segundo o levantamento ComTech, da Kantar Worldpanel. O estudo, de outubro do ano passado, constatou que 36% dos donos desses aparelhos estão na classe C, 34% na classe D e 30% da classe AB.