Brasil Mais TI quer estimular a entrada de jovens no setor. Foto: flickr.com/photos/nic519

Foi lançado na segunda-feira, 19, o novo portal do projeto Brasil Mais TI, desenvolvido pelos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Educação (MEC), sob coordenação técnica da Associação para Promoção da Excelência do Softare Brasileiro (Softex) e implantado pela Gestum, empresa gaúcha de e-learning.

Acessado em mais de 90 países, o Brasil Mais TI é um projeto que atua em três pontos essenciais da formação profissional: conhecimento, capacitação e oportunidade. 

Trata-se do 3º maior programa de capacitação gratuita do mundo (MOOC), disponibilizando mais de 20 cursos em mais de 1.500 horas de aula. 

Essa nova fase do projeto incorpora avanços tecnológicos ao portal. A navegação está mais intuitiva, com integração a redes sociais, além da plataforma estar mais completa e suportar um número bem maior de cursos.

Entre os cursos disponíveis estão Algoritmo, do qual participou 62% do público até o momento, Comunicação Visual para Web e Java. 

Segundo pesquisa desenvolvida pela Gestum, 3% a 7% dos brasileiros têm interesse ou vocação para a área de TI, um potencial de 3.6 a 8.4 milhões de pessoas que poderiam atuar no segmento. 

O Brasil Mais TI capacitou em sua fase piloto (2012-2013) 33 mil pessoas. Nesta nova etapa, a meta é capacitar, até dezembro, mais 10 mil e ministrar mais de 100 mil cursos.

Outra novidade do site é o Teste de Perfil Pessoal e Profissional, um jogo que permite ao jovem avaliar o seu interesse e conhecimentos do mercado do TI. 

Desenvolvido em parceria com o professor João Brandão, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a plataforma simula uma série de entrevistas virtuais que orientam o jovem para os cursos que mais se encaixam com seu perfil.

“Seu objetivo é despertar a vocação e estimular a entrada de novos profissionais em um setor em franco processo de crescimento e considerado estratégico para o Brasil”, explica Ana Beatriz Pires, gestora de projeto da Softex.

De acordo com Jefferson Plentz, diretor de P&D da Gestum, a área de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) no Brasil cresce dois dígitos ao ano, o que hoje representa um contingente de 1,23 milhão de profissionais no País. 

“Diante deste cenário, temos a necessidade e urgência de capacitar esses talentos. O mercado nacional de TIC, mesmo remunerando o dobro da média salarial brasileira, ainda carece de profissionais qualificados para preencher as vagas disponíveis”, diz Plentz.

O Caderno Temático “Mercado de Trabalho e Formação de mão de Obra em TI”, publicado no final do ano passado pelo Observatório Softex, unidade de inteligência, estudos e pesquisas da entidade, aponta para um déficit aproximado de 408 mil profissionais em 2020.

“Por se tratar de um despertar profissional, não há pré-requisito para fazer os cursos, porém o perfil de interessados é de jovens entre 16 a 25 anos, estudantes de ensino fundamental e superior, que queiram se capacitar e ingressar no mercado de TIC”, finaliza Plentz.

Hoje, o Brasil é o 4º maior mercado de tecnologia do mundo, representando US$169 bilhões em consumo, mas exporta apenas 2% de tecnologia, um total de US$ 2 bilhões segundo estimativas do Observatório Softex.

A Gestum desenvolve aplicações de e-learning e para gestão de talentos. 

Com cerca de quinze anos de mercado, a companhia tem sede em Pelotas, mas conquistou boa parte de sua clientela fora do Rio Grande do Sul, com clientes do Rio de Janeiro e São Paulo, estados que formam a maioria do faturamento da empresa, que não divulga valores.

A companhia atende empresas como Boticário, Randon, TAM, Zaffari, TIM, Magazine Luiza, Roche, Electrolux e Carrefour.