A estratégia de longo prazo da Huawei para dispositivos móveis não está clara. Foto: Divulgação.

A Huawei garantiu nesta semana que continuará a fornecer atualizações de segurança e suporte pós-venda para sua linha atual de smartphones após o Google anunciar a retirada da licença da empresa chinesa para usar o sistema operacional.

Mesmo assim, a estratégia de longo prazo da empresa para dispositivos móveis ainda não está clara.

De acordo com o TechCrunch, a Huawei não conseguiu garantir se os clientes atuais continuarão a receber atualizações de software do Android e não detalha se futuros telefones serão lançados com Android atual ou um novo sistema.

A empresa, que é a segunda maior fornecedora de smartphones do mundo com base em remessas, disse que “continuará a desenvolver um ecossistema de software seguro para seus clientes em todo o mundo”. 

Um pouco antes do comunicada da Huawei ser divulgado, o Google também publicou uma declaração que indicou que os proprietários de telefones Huawei poderão ainda acessar a Google Play Store e o Google Play Protect. No entanto, a empresa também não explorou questões a longo-prazo.

Para o TechCrunch, pode ser que a Huawei seja forçada a usar a versão open source do Android, o AOSP, que vem sem o Google Mobile Services, uma suíte para serviços do Google, como o Google Play Store, o Gmail e o YouTube. 

A empresa também pode oferece uma alternativa caseira própria construída para uma situação de emergência.

O movimento do Google segue a decisão do presidente americano Donald Trump, que proibiu na última semana que os grupos americanos façam negócios com empresas estrangeiras do setor de telecomunicações consideradas “perigosas para a segurança nacional”, que tem a Huawei como principal alvo.