Tá tudo conectado. Foto: divulgação.

A “Internet das Coisas” (do inglês Internet of Everything) renderá cerca de US$ 613 bilhões neste ano às empresas no mundo todo, segundo estudo divulgado pela Cisco.

A pesquisa, realizada com 7,5 mil líderes de TI de 12 países, incluindo o Brasil, também estima que o mercado de equipamentos conectados à web poderá chegar a impressionantes US$ 14,4 trilhões na próxima década, somando mercados de M2M, P2P e P2M.

Segundo reporta o TI Inside, dentre os 12 países pesquisados, o Brasil está na 10ª posição entre os países com empresas investindo em equipamentos conectados.

De acordo com o relatório, o país deve gerar US$ 17,3 bilhões neste ano, enquanto os Estados Unidos e a China liderarão o ranking com US$ 253 bilhões e US$ 76,9 bilhões, respectivamente.

Para Rob Lloyd, presidente de desenvolvimento e vendas da Cisco, a internet de todas as coisas tem potencial para remodelar a economia e transformar as indústrias-chave.

“O estudo nos mostra que o sucesso não será baseado na geografia ou tamanho da empresa, mas como ela pode se adaptar mais rápido”, observa.

O setor de cadeia de suprimentos (supply chain) deve puxar o segmento, com faturamento de US$ 158,7 bilhões neste ano, seguido pela experiência dos clientes, com US$ 145,2 bilhões, e inovação, com US$ 110,5 bilhões.