Para participar, é preciso investir 0,05 BTC. Foto: flickr.com/zcopley

Desenvolvedores do Brasil e da Espanha criaram o BitKup, plataforma de apostas nos jogos da Copa do Mundo da Fifa, no qual os usuários podem pagar em Bitcoin.

Com mais de 1 mil usuários cadastrados, o site oferece duas possibilidades de aposta. No Bitkup Free é possível apostar gratuitamente e concorrer a brindes relacionados com a criptomoeda.

Já com o Bitkup Pro é preciso investir 0,05 BTC (algo em torno de R$65,95 baseado na cotação da moeda no momento da publicação dessa matéria). Desse pagamento, 0.04 vai para o valor acumulado anunciado no site (o BITPOT) e 0.01 é a taxa por aposta que será usada para cobrir os custos e manutenção do bolão.

A premiação da modalidade Pro é distribuída em 50% do montante para o primeiro colocado, 15% e 13% para o segundo e terceiro colocado, respectivamente. 22% serão divididos entre os 17 demais colocados.

Os desenvolvedores reforçam que a carteira onde os bitcoins estão depositados é aberta e pode ser visualizada na blockchain, comprovando a existência dos bitcoins anunciados.

A plataforma foi criada por Gustavo Araújo, porto-alegrense e pelo espanhol Oriol Cortés, programadores e entusiastas do Bitcoin. Além deles, há outros brasileiros desenvolvedores e publicitários atuando no negócio.

"Ficamos muito empolgados e impressionados com a quantidade de apostas e jogadores cadastrados, tanto na Liga Free como na Pro" comenta Araújo, que explica sobre o futuro da plataforma após a Copa.

"A ideia surgiu no final de 2013 mas nosso objetivo é ir muito além da Copa do Mundo. Pretendemos adicionar outros esportes e campeonatos locais ou regionais de futebol no futuro. Pensamos também em adotar o Litecoin ou o Dogecoin, moedas virtuais também adotadas pela comunidade" finaliza.

Além disso, os desenvolvedores acrescentam que a plataforma, que está baseada em Amsterdam poit seu foco é no público europeu. "A maior parcela dos apostadores na plataforma são de países europeus. Por isso, o foco do nosso negócio é esse público", conclui.