Andrea Mangoni assume a TIM. Foto: divulgação

Andrea Mangoni, ex-diretor financeirao da Telecom Itália e CEO interino da TIM Brasil desde a saída de Luca Luciani, em maio, foi efetivado no cargo.

Apesar de estar na vice-liderança do mercado no país, o momento não é dos melhores para a TIM.

Nessa quarta-feira, 18, a Anatel decidiu suspender as vendas de novas linha de telefones celulares da TIM em 19 estados brasileiros. As outras operadoras punidas, Claro e Oi, estão suspensa, respectivamente, em três e cinco estados.

De acordo com a nota do colunista Lauro Jardim, da revista Veja, outros nomes foram cogitados para o cargo nesse meio tempo, passando por João Cox, ex-Claro, e por Zeinal Bava, no comando da Portugal Telecom.

A decisão da Anatel teria feito a companhia eleger definitivamente Mangoni como seu novo presidente-executivo.

A saída de Luciani, e a chegada de Mangoni ao posto como interino, foi ligada ao encerramento de uma investigação sobre o aumento artificial do número de clientes da Telecom Itália por meio do registro irregular de chips.

Em 2005, período analisado pela Promotoria de Milão, Luciani era um dos diretores da companhia.

Em nove meses, a TIM abriu uma diferença de quase 6 milhões de clientes para a Claro, da mexicana América Móvil e terceira colocada no Brasil.

Apesar do sucesso, com o anúncio da Anatel o papel da TIM na Bovespa despenca mais de 8%, a maior queda desde agosto de 2011 e a maior desvalorização do Ibovespa, o principal índice da bolsa paulista, que subia 1,25% na tarde dessa sexta-feira, 20.