Satya Nadella, CEO da Microsoft. Foto: Divulgação.

A receita da Microsoft ultrapassou US$ 100 bilhões pela primeira vez no ano fiscal de 2018. O resultado contou com os serviços em nuvem como destaque de crescimento.

Com faturamento total de US$ 110,4 bilhões, a companhia registrou aumento de 14% em relação a 2017. O lucro operacional foi de US$ 35,1 bilhões, alta de 21%.

Satya Nadella, CEO da Microsoft, atribuiu os resultados, em parte, a uma recente reorganização das equipes de engenharia da empresa para priorizar computação em nuvem e inteligência artificial em relação a produtos de software legados e o sistema operacional Windows.

O preço das ações da empresa triplicou desde que Nadella assumiu o comando, em 2014. Em 12 de julho, sua capitalização de mercado ultrapassou US$ 800 bilhões pela primeira vez.

A empresa não divulga os valores de faturamento da Azure, sua plataforma de serviço de computação em nuvem. No entanto, afirma que a receita do segmento cresceu 89% de um ano para outro, impulsionando o crescimento da divisão de servidores e nuvem para 26%. 

Embora a Amazon Web Services lidere há muito tempo o mercado de computação em nuvem, a Microsoft está consolidando sua posição como um segundo colocado forte, à frente do Google.

No quarto trimestre do ano fiscal 2018, encerrado em 30 de junho, a receita da Microsoft ficou em US$ 30,1 bilhões, uma alta de 17% em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro líquido foi de US$ 8,9 bilhões nos três meses.