A empresa já era cliente da Citrix há oito anos. Foto: MarcosSantos/Jornal da USP

Tamanho da fonte: -A+A

A Arteris, empresa especializada em gestão de rodovias, moveu cerca de 1,5 mil funcionários de seus escritórios e call center para o trabalho remoto através da solução Workspace da Citrix em projeto da integradora LGTi, em março de 2020.

Cliente da Citrix há oito anos, a empresa já utilizava o modelo mais simples que permitia acesso remoto à infraestrutura interna, mas ano passado precisou atender a um plano de contingência de negócios diante da pandemia da Covid-19.

Apesar de boa parte da operação da Arteris ser física, cerca de um terço dos funcionários trabalhava nos escritórios gerenciando as 998 vias de pedágio e 47 praças por onde transitam veículos que fazem uma média de 1 milhão de passagens por dia, além dos 15 mil dispositivos IoTs espalhados pelas rodovias, como as câmeras de monitoramento presentes em 80% do percurso.

“Quando foi necessário desocupar os escritórios para manter o isolamento social, precisamos pensar em uma solução para continuar os negócios de forma segura com os funcionários trabalhando de casa nos mais diferentes dispositivos. Optamos pela Citrix por conta da proximidade que já tínhamos com a empresa e por ser uma ferramenta de fácil implementação”, explica Luiz Eduardo Ritzmann, CTO da Arteris.

A empresa opera oito rodovias interligadas por uma rede privada que conta com um backbone de fibra ótica e quatro data centers principais em modelo de hiperconvergência, com as aplicações da companhia rodando no conceito de cloud privada. 

Além disso, a complexidade levou a concessionária a construir um NOC (Centro de Operações de Rede) que opera ininterruptamente monitorando toda a infraestrutura.

“A infraestrutura tecnológica robusta da Arteris facilitou a rapidez com que a operação foi deslocada para o trabalho remoto”, explica Geraldo Costa, executivo de vendas da Citrix.

Segundo Ritzmann, uma característica importante da empresa é ter um conjunto muito grande de IoTs espalhados pelas rodovias, além dos que ficam nos locais de pedágio, contando com cancela, redes, sensores, barreiras ópticas e todo o sistema que gerencia a parte de pedágio automático e a de pedágio manual.

Sao aproximadamente 15 mil IoTs, entre câmeras, sensores de monitoramento de tráfego (SATs), painéis de mensagens, rodovias com Wi-Fi em toda a rota.

O executivo explica que essa infraestrutura é necessária para a operação crítica da companhia, que exige o uso frequente de aplicações robustas para gestão de arrecadação do pedágio, gestão de tráfego, de eventos nas rodovias, acesso às câmeras de monitoramento, busca de dados nas ferramentas de business intelligence e conexão com os demais IoTs que estão na ponta.

Agora, todas as aplicações da companhia estão dentro da solução Citrix, tanto as que consomem pouco tráfego, como os e-mails, quanto as que demandam alto volume de dados, como as ferramentas para consulta de Power BI.

“O Citrix Workspace nos garante segurança, o que é essencial para a nossa operação de missão crítica, a qual não pode parar. Além disso, ela tem a vantagem de funcionar em qualquer dispositivo. Nossos atendentes conseguiram fazer uma consulta de Power BI, acessar uma câmera na rodovia, com a mesma velocidade e sem congestionar os nossos links. A solução da Citrix foi fundamental nesse processo de migração para o home office”, conclui Ritzmann.

Ainda, a companhia pretende ampliar o uso de recursos e funcionalidades da ferramenta. Atualmente, a tecnologia está sendo utilizada na sua forma mais simples como terminal remoto, fazendo uma camada de proteção e extensão para dentro do home office.

Conforme Ritzmann, mesmo nesta proposta, a solução facilita o gerenciamento e a segurança. 

É possível publicar tudo o que o funcionário precisa, melhorar a eficiência de banda, de tráfego, além de ter um encapsulado, do ponto de vista de segurança, o que a torna estrutural à continuidade dos negócios da empresa.

“Além de manter a segurança física e digital dos trabalhadores, agora a Arteris pode expandir o uso do Citrix Workspace para criar novos espaços de trabalho digital que aceleram a produtividade”, afirma Luciana Pinheiro, diretora de vendas da Citrix Brasil.

A Arteris administra 3,2 mil quilômetros de vias nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraná, sendo responsável pela operação de cinco concessões federais: Fernão Dias, Fluminense, Litoral Sul, Planalto Sul e Régis Bittencourt.

A empresa já investiu mais de R$ 20 bilhões em obras que geraram desenvolvimento à sociedade e ajudaram a reduzir em 51% as fatalidades entre 2010 e 2020, atingindo a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) para um trânsito mais seguro.

Fundada em 1989, a Citrix tem uma plataforma que reúne experiência do usuário, flexibilidade de TI e a segurança necessária para impulsionar a inovação.