Movimentação é constante no mercado de TI. Foto: polat / ShutterStock

Carla Azevedo, diretora regional da Stefanini no Rio Grande do Sul, assume em setembro o mesmo cargo na Resource IT Solutions.

A informação é de fontes de mercado ouvidas pelo Baguete. Procuradas, nem a Resource nem a Stefanini se manifestaram até o fechamento dessa matéria.

Carla é uma funcionária de carreira na Stefanini, onde estava desde 1999. Antes de assumir o comando do Rio Grande do Sul, há seis anos, a executiva esteve à frente de uma célula comercial no Rio de Janeiro onde era responsável pelo atendimento a Petrobras.

A Stefanini tem aproximadamente 600 funcionários no Rio Grande do Sul, divididos entre Porto Alegre e um centro de desenvolvimento instalado no Tecnosinos, em São Leopoldo, na região metropolitana da capital.

A contratação de uma profissional de alto perfil é parte da estratégia de crescimento da Resource de aumentar e diversificar os negócios no Rio Grande do Sul.

A integradora paulista abriu as portas em Porto Alegre pela segunda vez em maio de 2013, depois de uma tentativa frustrada em 2008.

Segundo o Baguete Diário levantou no começo do ano com José Henrique Silva Claro, diretor executivo de Negócios Regional Sul, baseado em Itajaí, a empresa já tinha quatro contratos no estado.

De acordo com claro, a maioria dos negócios é em cima de tecnologia SAP. A meta seria ampliar os contratos de fábricas de Cobol, Java e .Net, além de mobilidade. 

A Stefanini atua em todas essas áreas. Um dos seus contratos no estado é com a estatal estadual de processamento de dados, a Procergs, valendo para 20 mil pontos de função Net, Java, VB6 DNA e Delphi.

Somando os três estados da região, o faturamento da Resource no Sul chegou a R$ 32 milhões em 2013, mais do que dobro do obtido no ano anterior. Para 2014, a meta é chegar a um crescimento de 20%, atingindo R$ 38,4 milhões.

As cifras representam uma boa participação no negócio como um todo da Resource, ainda mais se temos em conta que a presença da companhia no Sul é relativamente recente.

A Resource chegou ao Sul em 2011, dois anos após o ensaio mal sucedido em Porto Alegre, quando adquiriu a carteira de grandes clientes SAP da BBKO, de Joinville (Claro entrou na empresa com essa aquisição). 

Com a tacada, a empresa levou o contrato com a BRF, o que levou a manter a operação na cidade catarinense, com 60 funcionários dedicados basicamente ao atendimento da gigante de alimentação.

Um ano depois, em 2012, a empresa abriu um escritório em Curitiba, onde hoje trabalham 120 pessoas e no ano passado em Porto Alegre, onde a equipe chega a 25 pessoas.

A Resource esperava fechar 2013 com um faturamento de R$ 400 milhões, um crescimento de 25% em relação ao ano anterior. 

A companhia tem 2,8 mil colaboradores e atende a mais de 300 clientes por meio de 18 escritórios, 14 deles no Brasil e  quatro no Chile, Argentina, Colômbia e Estados Unidos.

A Resource, que acaba de transferir sua sede para Miami, está seguindo os passos da Stefanini, hoje considerada uma das empresas mais internacionalizadas do Brasil.

A Stefanini afirma ter sido a primeira empresa brasileira de TI a abrir uma filial no exterior, com a inauguração da operação argentina em 1996.

Desde então, foram abertas unidades ou adquiridas operações em mais de 30 países. A Stefanini tem 17 mil funcionários e faturou  R$ 2,11 bilhões no ano passado.