Luis Thinen e Roberto Toscani. Foto: divulgação.

A Almaviva, companhia italiana de contact center, acaba de conquistar o PCI DSS (Payment Card Industry Data Security Standard) na versão 3.2.1,  para suas operações na América Latina.

Emitida pelo PCI Security Standard Council, a certificação determina um padrão de segurança de dados para transações financeiras, principalmente para pagamentos on-line com cartões de crédito.

Segundo a Almaviva, boa parte dos seus investimentos estão concentrados na ampliação dos mecanismos de proteção da informação, considerada um dos mais importantes ativos da empresa.

“No segmento de mercado em que atuamos, a certificação é muito exigida, principalmente por armazenarmos em nosso ambiente servidores e equipamentos dos nossos clientes. Isso nos trará ganhos profundos principalmente em negócios e rentabilidade", ressalta Roberto Toscani, gerente geral de segurança da informação da Almaviva.

A companhia tem entre seus clientes bancos digitais e de investimento, seguradoras, empresas de meio de pagamento, varejo, e-commerce e operadoras do segmento mobile/internet e energia.

"A certificação é muito importante porque, além de manter os critérios que garantem a segurança das informações, confere à empresa uma maturidade em controle e processos com cartão de crédito, além de estimular e solidificar uma cultura geral, em todos os setores da companhia, de manter a confiabilidade", afirma Luis Thinen, CIO da Almaviva.

Entre os quesitos para conquistar a PCI DSS estão: construir e manter uma rede segura,  proteger as informações dos portadores de cartões e implementar medidas fortes de controle de acesso. 

O Grupo Almaviva possui 65 sedes distribuídas em oito países: Itália, Bélgica, Brasil, China, Colômbia, Estados Unidos, Romênia e Tunísia.

No Brasil, a empresa tem sede em São Paulo e possui 15 sites e escritórios em 11 cidades brasileiras. Entre 2006 e 2020, a companhia passou de 800 colaboradores no país para 37 mil.