Daniel Cardoso, COO da Vogel Telecom. Foto: Divulgação.

A Vogel Telecom implantou a Groove (GX) Série G30, solução modular compacta da Infinera, para dobrar a capacidade em sua rede entre São Paulo e Belo Horizonte, uma das rotas com maior demanda de tráfego no Brasil.

Segundo a empresa, a nova rede oferece alta capacidade e o desempenho necessários para atender às crescentes demandas de largura de banda das principais operadoras e provedores de serviços de internet dessa região, com processos de instalação intuitivos e baseados no conceito open source.

“As soluções da Infinera nos permitiram ampliar rapidamente nossa rede para oferecer maior capacidade de largura de banda para atender às necessidades de nossos clientes durante a pandemia”, afirma Daniel Cardoso, COO da Vogel Telecom.

Futuramente, a solução também fornecerá à Vogel a capacidade de desenvolver uma rede para capacidades ainda maiores de largura de banda, com a tecnologia ICE6, também da Infinera.

“Devido ao aumento do uso da largura de banda decorrente do aumento de trabalhadores remotos e de ensino à distância, operadoras como a Vogel estão experimentando um crescimento sem precedentes nas exigências de qualidade e de capacidade de rede dos seus clientes diretos e provedores de serviços”, ressalta Alexandre Salomão, country manager da Infinera para o Brasil.

Com mais de 40 anos de experiência, a americana Infinera tem mais de 2 mil patentes e 500 clientes em mais de 100 países de seis continentes.

A Vogel Telecom tem como acionista controlador o Pátria – um dos maiores gestores de investimentos em infraestrutura do Brasil, cujos ativos ultrapassam R$ 30 bilhões.

A rede própria nacional de fibra óptica destinada exclusivamente ao mercado empresarial, está presente em 13 estados, com mais de 26 mil quilômetros de extensão, com conexão em 70 datacenters e cobrindo 600 cidades.

Há dois anos, a empresa anunciou um investimento de cerca de R$ 20 milhões para lançar no início de 2018 o backbone nacional próprio. 

Assim, a empresa deixou de utilizar a infraestrutura de terceiros para interligar suas redes metropolitanas - vindas da fusão, em 2015, das companhias SouthTech Telecom (RS), Avvio (SP) e Smart (SP).

O projeto de backbone nacional começou interligando os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.