Araquen Pagotto, diretor de Operações Small Business da Totvs. Foto: divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

A Totvs ampliou seu programa de parcerias focado em produtos Série 1, para micro e pequenas empresas, com a possibilidade de que até mesmo pessoas físicas atuem como canal, por meio de indicações, sem pagar nada por isso e somando pontos  mesmo que a venda não se concretize.

Funciona assim: o interessado em atuar como indicador se cadastra no site, assina um contrato e, a partir daí, faz suas indicações à Totvs. Se o indicado só aceitar a visita de um vendedor, o indicado já ganha 250 pontos que viram créditos de troca no site Multiplus.

Se a pessoa indicada comprar o software, o indicador ganha 450 pontos.

O programa também foi ampliado para pessoa jurídica. Agora, um autônomo pode se cadastrar junto à Totvs, receber treinamento nas soluções da companhia, pagar uma taxa mensal de R$ 99 e passar a receber 15% do valor de cada venda efetuada a clientes indicados por ele.

Conforme descrito pela Totvs, a taxa de manutenção se deve ao fato de que o revendedor poderá também usufruir de ERPs da companhia, ter acesso aos conteúdos da academia de treinamento comercial da marca, isenção no acesso à rede social corporativa Totvs SMB no by You, uso de email com extensão @totvs, entre outros benefícios.

Os softwares As soluções do Série1 abrangem softwares para gestão de departamentos jurídico, de manufatura, serviços, varejo e saúde.

Na mira, médicos, advogados,lojistas e prestadores de serviços.

“Além de ser uma oportunidade para o setor de Small Business, a comercialização por representantes é uma forma de incentivar pequenos empreendedores a ter seu próprio negócio”, destaca Araquen Pagotto, diretor de Operações Small Business da Totvs.

FORTALECENDO A SÉRIE 1

É o segundo movimento que a Totvs faz no ano para fortalecer a Série 1 de seu portfólio.

Em janeiro, fechou uma parceria com a Officer para distribuição dos ERPs desta linha com meta de abranger, até o fim do ano, 500 das 12 mil revendas da distribuidora no programa. 

Ambas empresas teriam investido R$ 500 mil na parceria.

Conforme explicou, à época, Fábio Gaia, presidente da Officer, os revendedores podem ganhar de três maneiras: com a venda do licenciamento; a manutenção; e na implementação, podendo ter 30% de margem na operação.

Os preços da solução Série 1 variam de R$ 99 para a assinatura em cloud computing R$ a 1,7 mil  para o modelo de venda tradicional.

Em 2011, as apostas na Série 1 também foram fortes.

A Totvs assinou acordos de parceria com UOL, para venda das soluções hospedadas no data center, e com Estadão PME, braço do grupo Estado de São Paulo focado em soluções para pequenas empresas.

Em entrevista ao Baguete em junho de 2011, o executivo responsável pela área revelou metas de fechar o ano com entre 300 e 500 novos distribuidores para os softwares da Série 1.

Até o final de 2012, a expectativa era já ter entre 2 e 2,5 mil.

INDICADORES EM ALTA
Outra de ERP que aderiu à prática de vendas por indicações foi a catarinense Senior.

Em julho deste ano a companhia lançou um programa de indicações de novos negócios que promete pagar até 12% sobre o valor de licenciamento assinado com o cliente em caso de sucesso.

O programa é dirigido para consultores, atuais clientes, empresas de tecnologia, escritórios contábeis e canais de distribuição.

Para participar, os interessados devem interessar sua indicação no hotsite do programa. Cada uma terá validade por 12 meses a partir da data de registro. O responsável receberá informações sobre o status da negociação.

Para ser válida a indicação, a empresa indicada deverá ter um projeto sinalizado e demonstrar interesse em receber executivos para uma apresentação.

“A ideia é fazer com que nossos clientes, parceiros ou fornecedores atuem como indicadores de negócios e repercutam positivamente nos serviços prestados da Senior”, afirma Hermínio Gastaldi, diretor de Mercado da Senior.

Com matriz em Blumenau e filiais em São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, além de 100 canais distribuídos pelo Brasil, a empresa tem mais de 10 mil clientes e fechou 2011 cp, R$ 400 milhões em volume de negócios, alta anual de 14%.