O Santos Dumont GPU ficou na posição 200 no ranking de melhores supercomputadores. Foto: Divulgação.

O Brasil é o décimo país no mundo com maior quantidade de supercomputadores, de acordo com a lista Top500. No total, seis máquinas estão no país.

Três dos supercomputadores são do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), em Petrópolis (RJ), uma do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe) de São Paulo (SP), uma da Petrobrás e uma do Cimatec, em Salvador (BA).

Apesar de configurar no top 10 de países que possuem maior número de supercomputadores, nenhuma das máquinas conseguiu aparecer no ranking das cem melhores, relata o Computerworld.

O supercomputador do Brasil melhor posicionado (Santos Dumont GPU, do LNCC) se encontra na 200ª posição. Ele é seguido pelo supercomputador do Senai Cimatec, que ocupa a 241ª posição.

Em 2010, o supercomputador Tupã do Inpe conseguiu a melhor classificação da história brasileira, com o 29º lugar. Hoje ele aparece apenas no 476º lugar.

Nos últimos anos, a China tem ganhado protagonismo na lista. Se os Estados Unidos conta com o maior número de supercomputadores do mundo – são 199 – a China, com 109 supercomputadores, recebeu o título de melhor computador do mundo seis vezes consecutivas com o Tianhe-2 de 33.86 petaflop/s da Universidade Nacional de Tecnologia para a Defesa. 

A diferença dos supercomputadores para as máquinas tradicionais é que eles têm capacidade de fazer milhões de milhões de cálculos em segundos. O Santos Dumont GPU consegue executar 456 TFlops, equivalente a 456 trilhões de cálculos de ponto-flutuante por segundo. 

Assim, é o maior computador da América Latina, segundo o Computerworld.