John Chen, CEO da BlackBerry. Foto: Divulgação.

A BlackBerry adquiriu a Cylance, empresa voltada para cibersegurança, por US$ 1,4 bilhão. O movimento faz parte da estratégia da antiga fabricante de celulares de direcionar seus negócios para a área de software.

O acordo deve ser fechado em fevereiro de 2019 e a Cylance deve continuar sua atuação como um negócio independente após a aquisição.

A compra da Cylance reforçará especialmente as ofertas de software Unified Endpoint Management (UEM) e QNX da BlackBerry.

A Cylance afirma ser pioneira na aplicação de IA e aprendizado de máquina em softwares de segurança cibernética. Baseada nos EUA e fundada em 2012, a empresa captou um total de US$ 300 milhões. O investimento mais recente aconteceu em junho, quando receber US$ 120 milhões em uma rodada da Série E.

Em 2016, a BlackBerry encerrou seu negócio de fabricação de smartphones, uma vez que dependia de uma nova estratégia de desenvolvimento de software e aplicativos.

Os resultados financeiros do primeiro trimestre mostram que a receita de software e serviços da BlackBerry aumentou em 14% na comparação com o ano anterior, para US$ 193 milhões.

"Acreditamos que adicionar os recursos da Cylance à nossa experiência confiável ​​em privacidade, mobilidade segura e sistemas incorporados tornará o BlackBerry Spark indispensável para a realização da Enterprise of Things", declara John Chen, CEO da BlackBerry.

A Cylance iniciou sua operação brasileira em 2016. No país, a empresa tem como público-alvo médias e grandes empresas, incluindo o setor financeiro.

Para criar sua rede de distribuição no Brasil, a Cylance firmou com a Proof seu primeiro acordo. A empresa também trabalha com marcas como Symantec, F5 Networks, Splunk, RSA, Palo Alto Networks e Cisco.