O Bradescard atua com cartão próprio e com varejistas, como a C&A. Foto: divulgação.

O Banco Bradescard, empresa de cartões do Bradesco, adotou a solução FIS One, gerenciador de comunicações multicanais da companhia americana, para padronizar as faturas impressas e digitais de seus cartões.

Com o projeto desenvolvido no início do ano, a intenção já era tornar o portfólio de cartões mais digital e, após a chegada da pandemia, veio a necessidade de acelerar essas entregas.

Em março, muitas das lojas varejistas que utilizam cartões do Bradescard foram fechadas devido ao distanciamento social e os clientes, sem saber como ter acesso a suas faturas, passaram a ligar mais para a central de atendimento.

Assim, a solução encontrada foi apressar a migração do impresso para o digital e apostar no autoatendimento.

“Tivemos que fazer mais comunicações com os clientes e as entregas que foram feitas realmente propiciaram essa aceleração. O cliente também estava mais aberto a soluções digitais, então foi muito convergente o interesse do banco em tornar o portfólio mais digital e o cliente também poder se auto servir”, conta Raquel Xavier, executiva responsável pela implementação de produtos no Bradescard.

Na prática, a empresa desenvolveu uma nova identidade para as faturas, um novo layout com as informações mais claras, com boxes definidos contendo informações pertinentes e com itens regulatórios necessários.

Até então, as faturas impressas tinham uma identidade muito diferente dos outros canais e, com essa solução, o cliente passou a visualizar a mesma fatura, com o mesmo conceito, independente do canal que utilize.

Todos os fronts de atendimento, seja dos lojistas ou da central de atendimento, também passaram a receber uma imagem fiel à fatura que é entregue para o cliente. Anteriormente, quando o cliente ligava nas centrais de atendimento, ele enxergava uma coisa e o operador, outra, dificultando a comunicação.

Além disso, o projeto conta com recursos para que, caso o cliente não receba a fatura por e-mail, receba um SMS avisando o insucesso da entrega, com o alerta de que existe algum problema no cadastro. Através do canal, o sistema já entrega uma solução, enviando o número do código de barras para pagamento.

Com a reabertura do varejo, o cliente que não recebeu a fatura também pode chegar nas lojas e imprimir sozinho a fatura no front de atendimento. 

“Isso é muito bom para o lojista também. Ele tem interesse de vender os seus produtos mas, quando vai usar o cartão, quer que o seu cliente também tenha soluções ágeis e satisfatórias. O que a gente percebe é que está impactando todo mundo positivamente” avalia Xavier.

Para o Bradescard, os ganhos estão muito mais relacionados à experiência do cliente, que era o seu objetivo principal, mas o projeto também trouxe aspectos como a redução dos custos com impressão e postagem, além da contribuição com o meio ambiente por conta da economia de papel.

Internamente, o banco também aponta que o impacto tem sido muito relevante em todas as áreas, seja operacional, comercial ou produto, por conta do acesso à informação com mais agilidade.

“Quando nós somos acionados por órgãos regulatórios ou mesmo por áreas internas, que precisam de rastreabilidade de dados, essa solução entrega muito mais informações e de forma muito mais rápida, então todos estão usufruindo de tudo isso com bastante satisfação”, aponta a executiva.

A empresa salienta que o desafio ainda é tornar todo o portfólio do Bradescard digital, para ter presença em todos os canais e sempre aproveitar o momento em que o cliente está ali disponível, com soluções que sejam pertinentes e não sejam aborrecentes.

O Banco Bradescard S.A. tem sede em Barueri, São Paulo, e atua tanto com cartão próprio quanto com varejistas como C&A, Casas Bahia, Makro e Clube Angeloni. 

Ele é uma das empresas do Grupo Bradesco, que foi fundado em 1943 e, somente no segundo trimestre de 2020, teve um faturamento de R$ 31,1 bilhões.

Fundada em 1968, a FIS é sediada na cidade americana de Jacksonville, na Flórida, e conta com mais de 20 mil clientes em mais de 130 países, com 75 bilhões de transações já processadas no mundo.