O feature phone old school. Foto: divulgação.

Para quem acredita que o smartphone já é uma unanimidade no mercado de telefonia, um estudo divulgado pelo IDC nesta semana prova o contrário. Segundo o instituto, a venda de feature phones registrou números quase três vezes maiores do que os dispositivos mais modernos.

Mesmo com o aumento na venda de smartphones, que foi de 65% em relação a 2011, o estudo destacou que, do total de aparelhos vendidos durante o terceiro trimestre, 4,2 milhões são smartphones e 11,1 milhões são feature phones.

Os feature phones, por sua vez, registraram uma queda de 28,5% nas vendas em relação ao ano passado.

Segundo reporta o Convergência Digital, o IDC destacou também que o mercado nacional de celulares vendeu 15,3 milhões de aparelhos no terceiro trimestre de 2012, uma queda de 15,3% em relação ao mesmo período em 2011.

O JOGO VAI VIRAR

Para Bruno Freitas, supervisor de Pesquisas da IDC Brasil, até meados de 2011 eram poucos os fabricantes que tinham em seus portfólios muitas opções de smartphones. Agora esse número aumentou.

"Há um forte movimento criado pelas operadoras para oferecer esse tipo de dispositivo e aumentar a venda de serviços, como planos de dados, por exemplo. O varejo é outro segmento que tem demonstrado crescimento na venda destes aparelhos”, completa Freitas.

Além disso, o supervisor observa que o mercado de TI está passando por um momento de transformação com a explosão das redes sociais e a migração para os dispositivos móveis.

"O usuário que antes comprava um feature phone, hoje tem a opção de comprar um smartphone por preços mais convidativos”, completa.

De acordo com o estudo, os smartphones com preços abaixo de R$ 700 no terceiro trimestre de 2010 representavam um total de 27% das vendas e atualmente representam 64%.

ANDROID LIDERA

Os aparelhos com o sistema operacional Android foram os mais preferidos do consumidor no terceiro trimestre, com 80% do volume de vendas. Segundo destaca o IDC, este número deve aumentar ainda mais.

Na América Latina o Android representou 69% e no mundo 75%. No mesmo período do ano passado, o Android representava 60,1% no mercado brasileiro, 50% na América Latina e 57% no mundo.