Thiago Mônaco, diretor de TI da ePharma. Foto: Divulgação.

A ePharma, empresa focada em gerenciamento de programas de benefícios de medicamentos (PBM) no Brasil, migrou seus dados armazenados até agora em data centers para a nuvem Microsoft Azure. 

Em 2017, a empresa validou mais de 31 milhões de transações entre clínicas médicas, planos de saúde, usuários e farmácias – cerca de 47 por segundo.

A reestruturação envolveu investimento de R$ 4 milhões e a criação de uma unidade de negócio dedicada à infraestrutura de TI. 

Diariamente, o sistema autorizador da ePharma certifica em torno de 100 mil vendas, com duração inferior a três segundos e chegando a 20 transações por segundo nos horários de pico.

Em 2017, ocorreram mais de 31 milhões de transações em 2017, 16 mil por hora, 479 por minuto e 47 por segundo, em prol de pacientes de todos os estados brasileiros e do Distrito Federal.

Após a migração, a empresa também adotou o Power BI, uma ferramenta de business intelligence com o objetivo de formar uma rica base de dados e indicadores relacionados ao fluxo de dispensação de medicamentos e autorização de procedimentos.

“Com isso, operadoras, indústrias e o varejo farmacêutico passam a ter elementos e dados muito precisos para aprimorar o gerenciamento de resultados”, comenta Thiago Mônaco, diretor de TI. 

O executivo também destaca que as implementações possibilitam a ampliação do número de transações e acompanhamento de tratamentos, pacientes e benefícios de medicamentos (PBM).

O projeto de implantação foi realizado pela equipe interna da ePharma.

Fundada em 1999, a ePharma está conectada nacionalmente a 27 mil farmácias, 1,5 mil clínicas médicas e laboratórios de diagnóstico.