Baguete
InícioNotícias> Runrun.it libera API para integração

Tamanho da fonte:-A+A

GESTÃO

Runrun.it libera API para integração

Júlia Merker
// quarta, 21/01/2015 10:30

O Runrun.it, plataforma brasileira de gestão de tarefas, tempo e desempenho, acaba de lançar sua API, que servirá para que os clientes consigam utilizar os recursos do software em outros sistemas, como ERPs, CRMs e BPMSs.

Franklin Valadares, Antonio Carlos Soares e Patrick Lisbona, da Runrun.it. Foto: Divulgação.

“A API é uma demanda real dos nossos clientes. Muitos deles utilizam Totvs, SAP e outros ERPs, e também CRMs, como o SalesForce e Pipedrive, porém em áreas restritas da empresa. O Runrun.it funciona como um sistema geral de gestão do trabalho, fazendo a ponte entre todas as áreas da organização” relata Antonio Carlos Soares, CEO do Runrun.it.

Segundo ele, uma venda realizada no CRM, por exemplo, pode iniciar o processo de entrega daquele serviço dentro do Runrun.it. Uma vez que a tarefa é executada, a alocação de horas capturada pelo software pode ser enviada para o ERP. 

“Essa integração vai garantir dois grandes benefícios: o aumento de 25%, em média, na produtividade da empresa, o que já é relatado por nossos clientes; e um aumento no ROI dos sistemas já existentes na empresa”, afirma Soares.

No site de documentação da API, ficam todas as informações necessárias para os clientes que quiserem usar o Runrun.it de forma integrada a ferramentas já existentes na empresa. 

“Além da integração com os sistemas da empresa ou geração de novos relatórios, o lançamento da API é uma ótima oportunidade para quem quer desenvolver uma solução própria baseada no Runrun.it ou quem quer personalizar seu próprio Runrun.it com novas funcionalidades”, ressalta o executivo.

A API é exclusiva para os clientes do plano 25, que custa R$ 450 por mês, ou superior.

Lançado comercialmente em abril de 2013, a plataforma é um SaaS (software as a service), utilizado atualmente por cerca de 97 mil empresas em 100 países. 

Entre os benefícios que proporciona estão: diminuição no uso de e-mails, menos reuniões de acompanhamento e priorização e mais entregas reais sendo feitas pelos colaboradores em um ambiente mais motivador.

Em maio de 2013, o Runrun.it recebeu um aporte de R$ 2,1 milhões, por conta da aceleradora 500 Startups, do Vale do Silício, e do fundo Monashees Capital.

Antes, em 2012, Antonio Carlos Soares e Patrick Lisbona, ex-sócios da Aorta - agência de mobilidade adquirida pelo grupo Mobi - realizaram uma rodada de investimento semente na Runrun.it.

Júlia Merker