Helisson Lemos, diretor geral do MercadoLivre no Brasil. Foto: Divulgação.

O MercadoLivre inicia, em 25 de janeiro, a seleção de startups de tecnologia que poderão receber aportes de seu fundo de investimentos - o MercadoLivre Commerce Fund (MeLi Fund). 

As empresas que participarem deverão apresentar projetos de tecnologia que tenham como principal objetivo melhorar a experiência de compradores e vendedores na plataforma de comércio eletrônico do MercadoLivre.

Segundo Helisson Lemos, diretor geral da empresa no Brasil, os objetivos do fundo - de um valor de US$ 10 milhões - são aprimorar a experiência dos usuários da plataforma e, ao mesmo tempo, fomentar o setor de desenvolvimento de tecnologia. 

As soluções apresentadas podem beneficiar tanto o site de compra e venda (marketplace) quanto os outros serviços do ecossistema, como MercadoPago (ferramenta de pagamentos online) MercadoEnvios (de logística), MercadoLivre Publicidade (publicidade online), MercadoShops (lojas online) e KPL (gestão de e-commerce).

O MercadoLibre Commerce Fund foi criado em 2013 e já investiu em diversas empresas na América Latina, cinco delas no Brasil - como Intoo, 00K e AirCRM.

"Com a abertura das APIs (Application Programming Interface) do MercadoLivre, realizada em 2012, qualquer desenvolvedor independente pode criar ferramentas para a plataforma a partir da nossa tecnologia. Dessa forma, passamos a oferecer múltiplas oportunidades de negócios para programadores e software houses", destaca Nicolas Coniglio, gerente de Desenvolvimento do MercadoLivre no Brasil. 

Os interessados em participar terão um mês (até 26 de fevereiro) para inscreverem suas ferramentas tecnológicas por meio do site do projeto.

Fundado em 1999, o MercadoLivre está presente em 16 países. O site é um dos 50 sites com mais page views do mundo, oitavo site de e-commerce mais acessado do planeta e décimo site mais acessado no Brasil.

A receita líquida do MercadoLivre atingiu US$ 556,5 milhões em 2014, o que representa um crescimento de 17,8% na comparação com 2013. A quantidade de itens vendidos durante o ano foi de 101,3 milhões, um crescimento de 22% em relação ao ano anterior.