Cláudio Muruzábal, Marcelo Costa e Martín Mendez. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Neoris, multinacional mexicana de consultoria de TI com forte presença no mundo SAP, promoveu uma reorganização do seus negócios na América do Sul.

No final de 2012, o argentino Martín Mendez assumiu o cargo de presidente para América do Sul da companhia, comandando as operações em todos os países da América Latina na qual a Neoris tem presença, à exceção do México.

Com a mudança, a empresa deixa de ter country manager no Brasil, cargo que até outubro do ano passado era ocupado pelo português Frederico Vilar, na empresa desde 2008. Vilar hoje é diretor na NorthgateArinso, multinacional de soluções de RH.

Mendez é um executivo de carreira da Neoris, responsável pela abertura da filial na Argentina em 2003 e ex-gestor da operação chilena.

Sob um comando único, a ideia agora é organizar a região em centros de competência, de maneira que as verticais nas quais a empresa é forte em cada país fortaleçam a presença em outros.

Assim, a força da operação brasileira em utilities - a lista de clientes inclui CPFL, AES Sul e Neonergia - poderá ser replicada em outros países.

A Argentina terá um núcleo de agroindústria, o Chile um de saúde e a Colômbia um de educação. As áreas de bancos e telecomunicações ficam nos Estados Unidos e na Europa.

“Estruturas muito verticalizadas em cada país podem na verdade nos afastar dos nossos clientes”, afirma Mendez, destacando que boa parte dos clientes da Neoris são multinacionais com negócios em toda a região ou empresas latinas em processo de internacionalização.

Em 2011, a empresa foi reconhecida pela SAP como uma parceira global de serviços, um time com pouco mais de duas dezenas de empresas incluindo gigantes como Accenture, IBM e Deloitte.

Um centro especializado na tecnologia de processamento em memória Hana, o último grito no mundo SAP, com apenas algumas dezenas de clientes na América Latina, acaba de ser inaugurado em Monterrey, no México.

Mesmo assim, a América Latina ainda é o carro chefe. Metade da receita de US$ 300 milhões em 2012 vem da região. Só a Cemex, cimenteira mexicana da qual a Neoris é uma spin off, representa 15%.

Os executivos da empresa não fazem previsões, mas é visível que há espaço para crescimento no Brasil.

Na Argentina, de onde também presta serviços de offshore para outros países - o que é menos economicamente viável no Brasil - a Neoris emprega mais de 800 consultores. A operação brasileira, que atende uma economia cinco vezes maior, tem apenas 400.

A estratégia para crescer no país, no qual a empresa tem operações em São Paulo e no Rio de Janeiro, não passa por aumentar a presença local por meio de aquisições, tal e como fizeram a espanhola Indra e a chilena Sonda, garante o presidente Cláudio Muruzábal.

“Uma consultoria vende talento. Esse não é um bem que é fácil de adquirir”, resume o executivo mexicano.

Maurício Renner cobre o SAP Fórum a convite da SAP Brasil.